segunda-feira, 10 de outubro de 2016

A justa luta dos taxistas (3)

Defender a ilegalização da UBER, com o argumento de que faz concorrência aos taxistas, é o mesmo que exigir o fim da Airbnb, porque faz concorrência aos hotéis.
Esta gente não se enxerga. Quando é que vão perceber que o mundo mudou e quem quiser sobreviver no meia da selva tem de se adaptar às novas regras?

A justa luta dos taxistas (2)

No dia em que os taxistas escrevem mais uma página da sua justa luta contra a Uber, lembro uma das muitas razões que devem levar todos os lisboetas e demais cidadãos e cidadãs deste país, a preferir os taxis.

A "justa" luta dos taxistas

Já  por diversas vezes manifestei a minha opinião sobre o diferendo que opõe os taxistas à Uber.
Sempre disse que o governo tinha um problema de difícil solução entre mãos e não seria fácil  encontrar uma solução equilibrada. Não é fácil agradar a ambas as partes, mas o governo conseguiu uma solução que vai de encontro a muitas das exigências dos taxistas.
Encanita-me ter de contribuir para a modernização dos táxis, porque o grande problema está na incapaidade de os taxistas se modernizarem.
Não espero ter taxistas cultos a cirular nas ruas de Lisboa, mas  estou cansado de aturar grunhos mal educados, para quem o Correio da Manha  é uma  Bíblia. Não tolero música em altos berros, nem gargalhadas histéricas, seja na Rádio Cidade, na Amália, ou na Comercial, não gosto de ouvir relatos de futebol, nem  comentários xenófobos, ou apreciações descabeladas sobre política e  políticos. Se tenho de pagar um serviço, tenho direito a exigir que me tratem com respeito e profissionalismo.
Devo dizer que, apesar de todos estes condicionalismos do serviço público de taxis, inicialmente manifestei alguma simpatia ( compreensão, vá lá) pela luta dos taxistas. 
Com o tempo, essa simpatia desvaneceu-se e hoje os taxistas já me irritam de tal maneira, que desisti de recorrer aos seus serviços.   O sr Florêncio Almeida, presidente da ANTRAL é o principal responsável pela minha decisão. O seu discurso é de arruaceiro, as suas ameaças próprias de um  criminoso. 
Hoje há  mais uma manifestação de taxis. Entre as reivindicações que trazem para as ruas de Lisboa, está a bandeirada de 6 euros durante o período de Natal e Ano Novo e autorização para aumentarem os preços durante os meses de Verão.
Houve tempos em que eu recorria aos serviços de taxis à noite. Apanhei muito taxista andrajoso, bêbado, muito arruaceiro que ao entrar em conflito com outros automobilistas colocava em perigo a minha segurança, gente  muito ordinária,  também alguns  vigaristas. 
Andar de taxi à noite era uma lotaria e não creio que no último ano as coisas tenham mudado. Daí, que tenha decidido montar a aplicação da UBER para recorrer aos seus serviços quando precisar de um carro com condutor.
Amigos garantem-me que a UBER oferece um serviço de qualidade. Espero, por isso, que Florêncio Almeida continue a empurrar os taxistas para esta justa luta e continue com exigências parvas. É a garantia de que terão cada vez menos clientes e a UBER crescerá em Lisboa.