segunda-feira, 15 de agosto de 2016

E o macaco sou eu?

Um homem foi condenado em Maio a seis meses de prisão, com pena suspensa, por ter ateado um fogo em Braga.
Ha dias foi detido por reincidir, confessou o crime, até deu pormenores. O juiz mandou-o em liberdade.
Desde o inicio do ano, dois terços dos incendiários e pirómanos detidos pela PJ foram de imediato libertados pelos juízes, apesar de alguns terem sido apanhados em flagrante.

Corre por aí uma petição a pedir penas de 25 anos para incendiários e piromanos.Obviamente nao assinei. Preferia que fossem exigidas responsabilidades e bom senso a quem nao sabe desempenhar as suas tarefas, como os membros do anterior governo que tomaram medidas que incentivam os " maluquinhos"(termo usado por alguns juízes para delinquentes e criminosos) a praticar crimes contra a floresta.

L'enfance



Se uma criança é capaz de enganar os juízes acusando outra criança de abusos sexuais, como não acreditar que haja crianças a inventar casos de pedofilia praticados por figuras públicas, enganando esses mesmos juizes?
O jovem Leandro esteve preso um ano, saiu em liberdade e com um pedido de desculpas, depois de as crianças que o acusaram terem admitido que tinham mentido, instigados pelas mães. Alguém garantiu a Leandro o direito a uma indemnização e a condenação de quem acusou, com o alto patrocínio das mãezinhas?
 Carlos Cruz esteve seis anos presos e continua, como no primeiro dia, a reclamar a sua inocência. O caso de Leandro dá ao sr. 1,2,3, uma razão de peso!