sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Brandos costumes

O líder de um gang de tráfico de droga é interceptado pela Polícia na A 22. Não obedece à ordem de paragem, tenta atropelar dois polícias, ensaia a fuga, mas um polícia dispara e consegue imobilizar o carro.
O meliante sofre ligeiros ferimentos, é detido e internado. No sábado foi presente a um juiz. À porta do tribunal dezenas de  “amigos” e familiares  de Olhão recebem-no com uma grande ovação, enquanto apupam e insultam a polícia.

É impressão minha, ou este é mesmo um povo de merda?

Os Malucos do Riso

Ricardo Salgado foi dispensado das apresentações periódicas na PSP de Cascais, para poder gozar tranquilamente o seu período de férias.  Serão apenas 30 dias, porque Ricardo Salgado não optou por féria repartidas.
Será que Ricardo Salgado também recebeu subsídio de férias para ir para a Comporta brincar aos pobrezinhos com as primas?

Valeu a pena?


Leio, na  Visão da semana passada, uma pequena biografia de António Ramalho, o próximo presidente do conselho de administração do Novo Banco.
Da sua “nota curricular” consta uma experiência de sucesso, de uma década, a trabalhar com Champallimaud. Os encómios a António Ramalho são muitos e variados, mas chamou-me particularmente a atenção a nota de que durante os primeiros sete anos de trabalho com Champallimaud nunca foi jantar a casa.

Não sei qual será a relação  do futuro timoneiro do Novo Banco com a mulher e as filhas, mas não deixo de me perguntar se terá valido a pena, aos 30 anos, casado e com duas filhas, ter sacrificado a vida familiar e não ter  acompanhado o crescimento de duas crianças com a proximidade que, presumo, qualquer pai desejaria.