quarta-feira, 1 de junho de 2016

É só isto!

Venho aqui só para dizer que a  carta por pontos foi criada para proteger as escolas de condução pertencentes a um ministro. Não acreditam? Então leiam o meu livro, onde apresento provas. ( Neste Dia da Criança achei que tinha direito a ter o meu momento infantil, mas podia ter arranjado melhor do que copiar um jornalista escritor infantilizado).
Agora a sério... como o meu livro só deve sair lá para final de Outubro, amanhã podem vir cá ler o post onde se fala de um ministro que tem interesses em várias escolas de condução. 

A Criança

Nos primeiros anos via-o com frequência. Pelo menos ao fim de semana quando me cruzava com ele e os pais no elevador, ou nos encontrávamos em passeios à beira mar. Lembro-me da fase em que deixou o carrinho de bebé, começou a dar os primeiros passos e lhe ouvia as lágrimas numa qualquer tentativa mal sucedida de caminhar que terminava com uma queda no cimento do paredão.
Entretanto os pais separaram-se, o meu ritmo de vida mudou, os passeios  transferiram-se da beira mar para o jardim e quase deixei de o ver.
Há dias, quando descia no elevador, ele entrou com a mãe. Ao vê-lo não consegui reprimir um gesto de surpresa. Comentei o seu crescimento.
- Já está na primeira classe - disse o orgulho de mãe.
-Nossa! Como o tempo voa. Parece que ainda o estou a ver a gatinhar- respondeu o enrascanço de um tio avô ( de ocasião).
A mãe esboçou um sorriso. A criança é que não se conteve e respondeu-me à letra, com os olhos sempre fixos na mãe:
- Os adultos têm a mania que só eles é que envelhecem. Nós também crescemos, não ficamos sempre bebés!
( Touché...)