sexta-feira, 13 de maio de 2016

O segredo do cofre é um Jardim




Há muito se suspeitava que o Cofre da Previdência dos Funcionários do Estado tinha um segredo só conhecido por alguns.  Pelo menos desde 2012, quando Tomé Jardim iniciou as reuniões secretas, aumentou o número de funcionários, geriu o cofre de uma forma ruinosa  e os lucros  passaram a prejuízos.
Maria Luís Albuquerque foi informada de tudo, mas aos costumes disse nada.
Agora  ficou a saber-se que o juiz Carlos Alexandre recebeu 4 mil euros de empréstimo à revelia dos estatutos. Com carácter urgente e confidencial.
O Ministério Público confirma que está a investigar a gestão desta entidade de utilidade pública por
suspeitas de burla, participação económica em negócio e abuso de poder.
Vale a pena ver o que Sexta às 9 investigou e constatar o silêncio de Tomé Jardim e Carlos Alexandre.

Revelação

Neste 13 de Maio, precedido por milagres do sol e Euromilhões a sair na terra dos pastorinhos, foi revelado o segredo mais bem guardado há quase um século.

A coisa por lá tá preta!...

Normalmente, quando estou no Rio de Janeiro, tomo alguns cuidados de segurança suplementares. A única vez em que me senti à vontade, foi durante  a Cimeira do Rio em 1992. Nessa altura, Copacabana tinha mais militares nas ruas do que turistas durante a noite, o hotel onde estava instalado tinha superlativas medidas de segurança e eu dormia com um PM à porta do meu quarto.
Tudo jóia.
Palpita-me, porém, que durante os Jogos Olímpicos do Rio poderá  haver problemas com a segurança. Os ataques  às forças de segurança têm vindo a aumentar e, desde o início do ano, já foram baleados 56 elementos das forças de segurança.
Dizem as notícias que os traficantes de droga andam muito activos e irascíveis com quem lhes quer perturbar o negócio. Como às vezes sou um bocado mal intencionado, comecei a pensar que talvez a queda de Dilma  evite algumas mortes.