sábado, 7 de maio de 2016

Dia do Postal Ilustrado (2)




Este postal fazia parte  do espólio da minha mãe. Foi-lhe enviado por Júlio Resende e, embora seja difícil descortinar a data ( o carimbo dos correios está ilegível e a data manuscrita deixou-me algumas dúvidas) o facto de estar endereçado ao pseudónimo que a minha mãe usava leva-me a admitir que tenha sido enviado   no longínquo ano de 1933 (38?), quando ela ainda escrevia em jornais.
Algum leitor sabe qual o local que está aqui representado?
Palpita-me que o Rui Espírito Santo não terá dúvidas.


Um túnel para o desenvolvimento



Foi hoje inaugurada uma notável obra de engenharia há muito  ansiada pelos transmontanos: o túnel do Marão.
Trás os Montes fica mais perto  e o país mais coeso. Qualquer transmontano percebe a importância do túnel para a região, menos Pedro Passos Coelho, um vilarealense  que  esqueceu as suas origens e travou as obras durante anos, porque eram muito caras e não as considerava essenciais.
Em tempo: a importância do túnel do Marão para toda a região, dispensava aquela cena de umas gajas ( sim, gajas, não eram senhoras) a manifestarem-se contra os cortes nos subsídios às escolas privadas.
A manif demonstra ignorância. Porque não há cortes, mas sim a recusa de renovar futuramente subsídios obscenos a grupos religiosos e correligionários partidários, quando eles forem desnecessários.
Como diria Passos Coelho, no caso de se tratar de trabalhadores a quem ele roubou o pão e o salário, os subsídios do Estado não têm de ser eternos. E- acrescento eu- não devem prejudicar os contribuintes em geral, em benefício de um grupo.
Sobre isso, porém escreverei noutro dia