quarta-feira, 16 de março de 2016

O vosso lugar é na pocilga, badalhocos!


Esta turba de bêbados holandeses anda a especializar-se em acções próprias de bárbaros, que não os distinguem muito dos fanáticos do ISIS.
Ano passado, em Roma,  vandalizaram a Piazza di Spagna. Ontem, em Madrid, comportaram-se como porcos na pocilga e humilharam um grupo de mendigas.
O PSV  fez bem em demarcar-se destas bestas luteranas, mas não consegue apagar a imagem de que é um clube que leva sempre consigo uma cambada de mentecaptos!
( Veja o vídeo e confirme!)

Ilusão de óptica




Nos últimos dias, fartei-me de ver e rever imagens das manifs no Brasil. Não é que me interesse muito pelo que as nossas televisões vão dizendo  ( não gosto de ser manipulado), mas havia algo que queria confirmar. Não  haveria pretos nas manifs? Quiçá um índio? É que num país multicultural, não fazia sentido para mim que as imagens só mostrassem brancos, alvíssimos ou tisnados pelo sol de Ipanema, da Barra da Tijuca ou de Florianópolis. Não me parecia nada curial que mesmo na alvar e elitista S. Paulo, não haja pretos descontentes.
Parei imagens, fiz zoom, mas pretos (mesmo pretos, não mulatos) não havia.  De índios nem vestígios. Esta manhã, ao ler o Publico on line  descobri que afinal havia mesmo pretos na manif. Não protestavam. Apenas desempenhavam o papel de figurantes na grande ilusão sociológica que é o Brasil.

O convite


Alguns à esquerda indignaram-se. Outros à direita rebolaram-se de gozo. Aconteceu quando António Costa convidou Cavaco Silva para presidir a um conselho de ministros, acto que alguns interpretaram como a tentativa de Costa enterrar o machado de guerra nas relações com Cavaco.
Não me rebolei de gozo, mas também não me indignei. Classifiquei o convite de Costa como uma pequena vingança do nosso PM.
Ele sabe perfeitamente que Cavaco é um homem rancoroso e, mesmo que Costa fizesse o pino na marquise do Possolo, ou  um duplo mortal encarpado com pirueta na piscina da casa da Coelha, Cavaco nunca lhe perdoaria a afronta de ter sido obrigado a empossar um governo de esquerda. Vai daí, Costa utilizou a sua sabedoria oriental e convidou o então PR para presidir a um conselho de ministros cuja temática era o mar. Sim, esse mesmo mar que Cavaco desprezara enquanto pm, era-lhe servido como tema de um inédito conselho de ministros.
O convite foi uma humilhação, mas a estratégia de Costa falhou, porque nem  Cavaco, nem o seu séquito de apoiantes perceberam a mensagem.