terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Quando o futebol é um exemplo a seguir

O Chaves, na luta pela subida à I Liga, recebeu na tarde de domingo o Oriental, que tenta evitar a despromoção. O resultado foi um empate comprometedor para as aspirações dos flavienses, enquanto o Oriental conseguiu amealhar um pontito que lhe pode ser muito útil para evitar a despromoção. Os flavienses ficaram em casa a remoer a perda de dois pontos, enquanto os orientalistas se fizeram à estrada rumo a Lisboa.
O autocarro dos lisboetas avariou poucos quilómetros depois de iniciar a viagem de regresso. Depois... bem, depois, foi uma história bonita que vale a pena ler  aqui.

Isto é pornografia, mas há quem lhe chame outras coisas...

Em 2010, analisava aqui a posição de Pedro Passos Coelho sobre as entidades reguladoras:
"Pedro Passos Coelho defende menos intervenção do Estado na economia e menos regulação. Quer que o mercado funcione livremente e acredita nas virtualidades das Ordens profissionais para o disciplinar. Admite, com relutância, a existência das entidades reguladoras, mas apenas com papel honorífico".

Comentei então:
"Não as rejeita em absoluto, porque sabe que podem ser úteis para a colocação de alguns “boys”.

Em Novembro de 2015, dias antes de ser apeado do pote, o governo aumentou os membros do conselho de administração da entidade reguladora da aviação civil em 150%. O aumento  já era escandaloso mas, ao saber-se que tem efeitos retroactivos torna-se pornográfico.
Só que ainda há mais...
As nomeações foram alvo de reservas da CRESAP e o nome do presidente, Luís Ribeiro, gerou controvérsia na Comissão de Economia e Obras Públicas da AR, que desaconselhou a sua nomeação, por não ter condições éticas e jurídicas para desempenhar o cargo.
Motivo? Luís Ribeiro não tem experiência para desempenhar o cargo ( diz a CRESAP)  e tinha, até à data da sua nomeação, vínculos contratuais com empresas que estão sob a alçada de supervisão da ANAC Como é que Luís Ribeiro pode regular empresas para as quais trabalhava? - pergunta o relator da Comissão de Inquérito.
Indiferente aos avisos e às críticas, Passos Coelho nomeou Luís Ribeiro, por proposta de Pires de Lima, a que Maria Luís Albuquerque deu o seu aval.
Aqui chegados, dizer que isto é apenas pornográfico é muito pouco. O silêncio do PSD nesta matéria é sintomático mas, como é habitual, alguém lançou para a comunicação social uma explicação:
"Foi a troika que mandou!"
Eu sei que ninguém, no anterior governo, tem um pingo de vergonha no focinho, mas detesto que me façam passar por parvo, por isso pergunto:
- Não havia ninguém no governo suficientemente sério para explicar à troika que aumentar salários das administrações das entidades reguladoras, enquanto se cortam a  quem trabalha é imoral?
- E se a medida é para ser aplicada a todas as entidades reguladoras, por que razão o governo só a aplicou aos membros da ANAC?
- E porque razão o governo fez segredo dos aumentos e se remete ao silêncio,  enquanto inventa uma desculpa esfarrapada?
- Será porque Luís Ribeiro era um dos tais boys a que eu me referia?
Provavelmente, uma única palavra responde a todas as perguntas: DESONESTIDADE. Há quem também chame a isso, " o mercado a funcionar"...