quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

O final deste filme não vai ser bonito de se ver (1)

O primeiro ministro italiano mandou tapar as estátuas dos Capitolinos, para não ofender o presidente do Irão.
Seria para rir, se esta capitulação dos lideres europeus não fosse trágica. A Europa tem valores, tem cultura, tem identidade, mas quem lídera parece ignorá-lo e ajoelha perante valores que não são seus, em nome do sacrossanto mercado. Levantadas as sanções, o Irão tornou-se um mercado apetecível e há que agradar aos seus líderes.
Alguém lembre os  Matteo Renzi da Europa  que quanto mais se baixam, mais o cú se lhes vê e o final desta história nem honrará a Europa, nem será bonito de se ver.

Com amigos destes...

No momento em que as agências de rating e toda a parafernália de instituições subordinadas aos interesses proclamados em Davos e Bloomberg, lançam uma série de críticas ao orçamento apresentado pelo governo português e ameaçam cortar o nosso rating, é bom lembrar o que ontem disse o Tribunal de Contas Europeu sobre a forma como a Comissão Europeia actuou em relação aos cinco países europeus que foram sujeitos a resgate.
Aproveito para lembrar que durante o período de resgate, o presidente da Comissão Europeia era Durão Barroso, que agora anda por aí a arrotar postas de pescada em conferências pagas a peso de ouro.
Já agora, seria de bom senso que, face a este relatório do TCE, os agiotas das agências financeiras se calassem durante algum tempo.