sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

O direito à indignação e a falta de bom senso

A mãe de Ruben Cavaco, o puto de Ponte de Sor que foi para os copos e se meteu em encrencas, está indignada porque o governo não fez sequer um telefonema a inteirar-se do estado do miúdo.
Eu devo esclarecer a mãe do Ruben que também estou indignado. Com ela e com todas as mães que deixam putos de 15 anos ir para os copos e dormir fora de casa, sem se assegurarem da veracidade das petas que os filhos lhes enfiam.
É ainda meu dever prestar outro esclarecimento à mãe indignada: Se as mães de todos os putos de 15 anos que vão à noite para os copos e se metem em encrencas, se indignassem por não receberem um telefonema do governo, estávamos tramados. O OE teria uma rubrica só para telefonar a pais " que têm os melhores e mais responsáveis filhos do mundo, mas metem-se nos copos e  têm azar" e   o governo teria de criar o " Ministério para Tratar dos Assuntos de Pais Irresponsáveis Indignados".
Já há demasiada gente a colher os frutos dos meus impostos, dispenso bem mais um ministério para resolver  problemas de pais que se demitem de educar os filhos, ou simplesmente não têm coragem para lhes dizer não.

5 comentários:

  1. Perfeitamente de acordo.

    Todavia, acrescento, para que saibamos perceber os meandros das coisas, que a resposta da mãe do puto,sobre o não telefonema do governo, é dada, a uma pergunta de uma senhora que dizem ser jornalista da TVI que sempre que pode,pergunta se o governo agiu bem não fazendo um telefonema...seja para a mãe do Ruben, seja para o Banco Central Europeu, seja para o seu amigo Passos Coelho, seja para o Tribunal Constitucional, seja para o demissionário Administrador da CGD...

    É óbvio que a jovem coitada da senhora que nunca mais vê luzirem os petro-euros na carteira, revelou a sua indignação colocando-se ao jeito da perturbada jornalista, que não consegue esconder a antipatia pelo governo deste país,nem pela afronta que constituiu a tomada do poder pela esquerda em Portugal...

    Portanto, aqui fica a minha indignação,face à persistente estupidez de uma comunicação social revanchista que faz lembrar personagens dos tempos do PREC,instalados de fresco numa direita retrograda acabada de se formar,que fazia da moca de Rio Maior o seu símbolo,contra tudo que fosse de inspiração revolucionária.







    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que prazer vê-lo por aqui. Como eu sou presunçosa ao pensar que a culpada sou eu porque pus este postal no meu FB.

      Eliminar
  2. Telenovela noticiosa.
    Vale tudo, até perguntar ao morto se se sente bem...

    ResponderEliminar
  3. Este post tem aquele tipo de conteúdo que à primeira vista leva as pessoas a bradar acerca da insensibilidade do autor...porque é muito fácil, quase instintivo, sentir compaixão da pessoa que foi agredida e da mãe que sofre. Mas tem toda a razão, Carlos. As coisas são mesmo assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É preciso não encarneirar. Ninguém sabe exactamente o que se passou. mas todos os dias Há acidentes gravíssimos, com jovens nos pubs, discotecas e sei lá mais quê. mas muitos papás vão busca-los a arrastarem-se de bêbados, porque hoje já não há prazer em beber. É apenas emborcar até cair para o lado. vão aos fins de semana às urgências.

      Eliminar