sábado, 24 de dezembro de 2016

Dia do Postal Ilustrado (33)- Especial Consoada


Foi assim no Natal de 1959.Eu tinha 10 anos, a minha avó materna tinha falecido dois anos antes. Uns primos  enviaram este cartão de Boas Festas à minha Mãe.
57 anos depois mantém-se actual.
Votos de  um Natal Feliz para todos os leitores e amigos.

5 comentários:

  1. Gosto muito deste postal de Natal, enriquecido com um poema de um dos meus poetas portugueses preferidos. As palavras de Pedro Homem de Melo atingiram a minha alma dorida, dando-lhe um pouco de conforto.

    Natal em PAZ para todos OS portugueses.

    ResponderEliminar
  2. Porque este postal me comoveu, pois hoje também me lembrei dos meus que já partiram todos, mas que continuam a fazer-me companhia, tentando arranjar forças para sobreviver, até este dia, mesmo que não tenha feito parte dos meus rituais.

    "Ladainha dos póstumos Natais

    Há-de vir um Natal e será o primeiro
    em que se veja à mesa o meu lugar vazio

    Há-de vir um Natal e será o primeiro
    em que hão-de me lembrar de modo menos nítido

    Há-de vir um Natal e será o primeiro
    em que só uma voz me evoque a sós consigo

    Há-de vir um Natal e será o primeiro
    em que não viva já ninguém meu conhecido

    Há-de vir um Natal e será o primeiro
    em que nem vivo esteja um verso deste livro

    Há-de vir um Natal e será o primeiro
    em que terei de novo o Nada a sós comigo

    Há-de vir um Natal e será o primeiro
    em que nem o Natal terá qualquer sentido

    Há-de vir um Natal e será o primeiro
    em que o Nada retome a cor do Infinito

    David Mourão-Ferreira, in "Cancioneiro de Natal".

    ResponderEliminar
  3. Muito bonito, tanto na imagem como no texto. :)

    ResponderEliminar
  4. Uma ternura de Postal, Carlos. O Natal é Festa onde as crianças são o elemento essencial. Sem crianças o Natal perde o encanto e a magia.
    Continuação de dias felizes, já que o Natal é sempre que o Homem quiser.

    ResponderEliminar