terça-feira, 22 de novembro de 2016

Memórias em vinil (2)


Este foi o primeiro disco que comprei com o meu dinheiro. Ou seja, com o dinheiro que poupei das semanadas que o meu pai me dava. 
O disco é de 1962, mas devo-o ter comprado só em 1964, pois foi nesse ano que conheci Françoise Hardy durante as férias de Verão.
Todos ( com excepção talvez da Teresa) conhecem o grande sucesso "Tous Les Garçons et les Filles" a  canção que lançou Françoise para os tops e inspirou gente famosa como Mick Jaegger e Bob Dylan. (De salientar que era ela quem escrevia a maioria das suas canções).

Tenho todos os discos de Françoise Hardy e é natural que ainda volte a trazer aqui mais algum disco dela mas hoje só tenho ouvidos para este grande sucesso da música francesa.

13 comentários:

  1. Respostas
    1. E eu ouvi tantas, que a minha Mãe já não suportava a Françoise Hardy :-)

      Eliminar
  2. Deve ter sido das canções mais ouvidas pelos jovens da minha época. Até tenho histórias giras ligadas a esta canção.
    desta época espero que não falte uma considerada muito sexy, para a época "Oh lady", que só fui suplantada uns anos depois por uma muito especial.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também. E uma das histórias até já a contei aqui...

      Eliminar
  3. Também já a ouvi algumas vezes. Mas na meia idade. Velhice, vá. Acho que se torna mais terna e melancólica. Mas não perde a sua beleza de canção simples e convicta. Também me parece que só na meia idade que vesti algumas roupas iguais às dela.
    E obrigada pela Françoise que nos deixa assim a modos que uma primavera neste dia tão frio.

    ResponderEliminar
  4. Fiz, agora, uma viagem no túnel do tempo ao ouvir esta canção, que fez tanto sucesso, também aqui, no Brasil, naquela época.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus primos brasileiros também adoravam esta canção.

      Eliminar
  5. Dancei tantas, mas tantas vezes ao som desta música. O meu falecido marido além do emprego que tinha, também era DJ, no do vinil e das cassetes, ele deixava a cassete tocar e vinha para a pista dançar comigo que o acompanhava sempre.

    Beijinho Carlos

    ResponderEliminar