quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Jardins proibidos

Num país deslumbrado pelo automóvel, onde os espaços de lazer são constantemente subalternizados pelos cavalos com motor, merece destaque esta notícia:
" O Jardim do Caracol da Penha  foi o projecto mais votado do Orçamento Participativo de Lisboa. A votação foi clara: 9477 lisboetas preferem ver naquele espaço- onde se juntam as freguesias da Penha de França e de Arroio - um jardim público do que 86 lugares de estacionamento"
( in DN de 29 Dezembro de 2016)
Esta notícia não é só esclarecedora quanto ao mérito dos Orçamentos Participativos ( programa em que a Câmara Municipal  de Palmela foi pioneira) que permitem aos cidadãos fazer as suas escolhas. Demonstra, também, alguma maturidade dos eleitores.
O que pode parecer surpreendente ( escolher um jardim em detrimento de um parque de estacionamento, numa zona da cidade onde escasseiam lugares de parqueamento) não é. Desejando ter um jardim na freguesia, sabendo que a resolução dos problemas de estacionamento naquela zona é urgente e que  a autarquia tinha projectado para aquele local  um parque de estacionamento, os lisboetas fizeram uma escolha racional. Se votassem no parque de estacionamento, nunca mais teriam o jardim. Optando pelo jardim, obrigam a Câmara Municipal de Lisboa a encontrar uma alternativa para o estacionamento naquela zona da cidade.
A isto chamo votar com inteligência.

7 comentários:

  1. Não conheço essa zona mas pela foto vai ficar excelente!
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Porque será que nesta terra não se fazem estacionamentos em altura, em edifícios de vários andares, que ficavam muito mais baratos e resolviam tantos problemas? levam anos a escavacar o chão para fazerem parques que ficam caríssimos e com apenas meia dúzia de lugares. Será que a parva sou eu? Ontem para ir a lisboa um hospital fazer um exame tive de ir de táxi porque sei que lá não há estacionamento. e assim tive tempo e oportunidade para reparar que as calçadas estão todas esburacadas, os passeios estão cheios de porcaria e de ervas, folhas para se escorregar, porque não há desempregados neste país para fazer esse trabalho. Porca miséria. espero que não utilizem o jardim para irem lá com os cães para defecarem, porque os jardins que eu conheço também estão todos ao abandono. eu que moro aqui só por causa do jardim se não já me tinha ido embora.

    ResponderEliminar
  3. OURO DE LEI NA NOSSA TRAVESSA

    Depois de vários lamentos, críticas e, mesmo, de algumas tentativas de agressão originados pelo último texto A velha e o cão cujo final foi abundantemente censurado, publico hoje OURO DE LEI que termina em felicidade risonha e total. Ficaria muito satisfeito se os comentários desta feita fossem mais agradáveis. Peço, ainda, o subido obséquio da divulgação possível desta informação. Muito obrigado.

    Qjs & abçs do Henrique, o Leãozão

    ResponderEliminar
  4. Ainda bem que o bom senso imperou.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Chapelada para os votantes e para os que deixam que as pessoas façam escolhas.

    ResponderEliminar