domingo, 27 de novembro de 2016

Dia do Postal Ilustrado (29)

Este postal foi-me enviado por um amigo em 1967. Foi enviado da Régua onde ele estava passar férias e não resisto a transcrever duas passagens:
"Isto aqui é um reboliço. Ando sempre de um lado para o outro. É o Baile das Vindimas, as corridas de Vila Real, o Rally..."
(Não sei a qual Rally se referia o A.mas  é curioso lembrar o que era, em 1967,reboliço em Portugal)
Mais adiante, para me convencer a passar uns dias na Régua, acrescenta:
"E nos bailes é cada garota! Só visto!  Pena eu já estar casado".
Este "casado" devia estar entre aspas,porque o A. era solteiríssimo e assim havia de ficar ainda por alguns anos,  mas naquela época era muito comum os rapazes dizerem que já estavam casados, quando tinham uma namorada com quem pensavam casar mais tarde.
Enfim, memórias dos tempos em que a comunicação se fazia pelos CTT e as belals moçoilas durienses serviam de modelo a postais ilustrados.

Aviso: a partir do próximo sábado, e durante todo o mês de Dezembro, esta rubrica ( que esta semana, devido à morte de Fidel Castro, é publicada ao domingo) publicará apenas postais de Natal. Espero que gostem.

18 comentários:

  1. Vindimas, bailes e automobilismo... Não está mal de animação. :)

    ResponderEliminar
  2. E um belíssimo postal.
    E em 67 os bailes costumavam ser bem animados.

    ResponderEliminar
  3. Talvez fosse a este circuito que o eu amigo se estava a referir: https://en.wikipedia.org/wiki/Circuito_Internacional_de_Vila_Real

    Foi durante este circuito que a minha amiga, que referi em tempos, se apaixonou por um austríaco e só não se concretizou, porque tinha de ir viver para a Áustria e ela não quis deixar a família. A coisa foi mesmo séria, tanto que o senhor depois de se divorciar veio cá ver se ela ainda estava solteira.
    nesta altura o interior era bastante animado. todas as semanas havia bailaricos, romarias, etc. Não estava tudo ao abandono como hoje. no entanto a cristas quer dar-lhes vida...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O circuito claro que era o de Vila Real, Anfitrite. A minha dúvida é quanto ao Rally. Terá sido o Rally TAP de 1967 no Verão?

      Eliminar
  4. É claro que gostamos de postais de Natal:). Assim, deseja-nos Boas Festas semanalmente. Venham eles!

    ResponderEliminar
  5. Outros tempos, outros divertimentos, outros 'reboliços'!!!
    O postal é bonito sem, no entanto, ter nada de especial. Hoje, também há vindimas no Douro e os processo não serão muito diferentes. Se calhar, a diferença estará mais nos cestos, que em vez de serem de vime, são caixas de plástico.

    Venham, então, os Postais de Natal...época, a que cada vez dou menos valor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As vindimas agora são quase todas mecânicas e perderam muito do encanto daqueles tempos, Janita.
      Quanto ao Natal, só espero que o mês de Dezembro passe muito depressa.

      Eliminar
  6. Muito bonito, aliás parece uma foto!
    Nesse ano ainda era eu criança com 8 anitos já sabia o que era vindimar como todas as crianças da minha Aldeira, mas não imaginava o que era um baile.

    Beijinho Carlos, tenha uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também vindimei, mas mais em termos lúdicos. Até já escrevi aqui um post sobre isso.Boa semana também para si Adélia.

      Eliminar
  7. Namorada era para casar, Carlos.
    Nos meios rurais ainda mais.
    E que lindos resultados que essa obrigatoriedade deu!! :(
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O A. era citadino, Pedro. E a namorada também, mas claro que naquele tempo quando os namoros entravam portas adentro das famílias, toda a gente começava a falar em casamento.

      Eliminar
  8. É uma boa ideia, Carlos, em publicar postais de Natal.

    O postal de hoje é muito enriquecido com o texto. E esse seu amigo sempre se casou com a garota ou ela fugiu com outro?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Casou sim, Teresa. Tiveram 4 filhos e hoje vivem sabe onde? Pois, na Alemanha... Mas os filhos adoram Portugal e um deles ( o mais novo) chegou mesmo a pensar vir viver para Portugal.Só que com a crise, mudou de planos.

      Eliminar