sábado, 8 de outubro de 2016

O povo é soberano mas...



O  cúmulo dos cúmulos é o prémio Nobel da Paz ter sido atribuído ao presidente de um país (Colômbia) que conseguiu acabar com uma guerra que dura há décadas, mas cujo povo ( apenas uma semana depois) recusou a paz em referendo.
Vá lá a gente entender o povo...

10 comentários:

  1. Realmente este mundo está sem pés nem cabeça. Mas o Carlos sabe bem que quem votou contra o acordo foram aqueles que sempre viveram do negócio da droga e que estão subjugados aos barões e nem sabem que existe outro mundo. Já agora digo que também estou de acordo com a Betencourt, que disse que o prémio devia ser dividido pelos dois. Eu também acho que um acordo não se faz só com uma das partes.
    Carlos, gostava que me dissesse se a minha maneira acre de comentar e de ter a mania de acrescentar mais qualquer coisa que sei não é bem vinda. É que as outras pessoas, normalmente, apenas concordam ou discordam, mas não acrescentam mais nada. Devem deixar isso para os seus blogues. Como desconheço as regras dos blogues e só participei num que parecia uma mesa redonda dum café, gosto de partilhar o pouco que sei, mas por respostas que já vi há pessoas que se julgam muito importantes e não querem que se fale com elas. Ignoram os comentários dos outros e só cumprimentam o Carlos. Sou eu que estou errada? deve se mesmo defeito meu, já que eu também não comento em blogues que tem a moderação activada.
    Biépi tugédar!!1

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. desde sempre entendi a blogosfera como um espaço de opinião livre e é assim que pretendo que este blog continue, Anfitrite. Respeito a maneira como cada um comenta e nem comentários que pretendem ofender-me elimino. Só não gosto é que as pessoas se ofendam aqui. Algumas vezes, porque considerei que as trocas de "mimos" passaram o lmite do razoável elimnei esses comentários e expliquei a razão.
      Sendo este espaço de opinião livre, também eu me sinto com direito a ter a liberdade de responder ou não aos comentários. Nunca o farei por obrigação, apenas quando tenho tempo e disponibilidade.
      No dia em que a blogosfera exigir de mim o que não posso (ou não me apetece) dar, fecho o blog. Mais simples do que isto não há...

      Eliminar
  2. Acrescento mais uma coisa: Para ser franca, até acho ridícula a maneira de o anfitrião dar uma resposta a cada comentário. Acho que ele deve fazer os seu comentários quando acha oportuno e para esclarecer ou dizer mais qualquer coisa. Caso contrário parece-me apenas um passatempo, quando a vida é tão curta e nos prega tantas partidas!

    ResponderEliminar
  3. Tb nao percebi bem esta decisao...

    ResponderEliminar
  4. Há loucuras difíceis de perceber!

    Bom domingo Carlos.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Reforço o que a Anfitrite
    disse

    Se uma guerra tem dois contendores
    e a paz apenas reconhece um
    ou lhe querem cobrar favores
    ou a paz não tem sentido algum

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por concordar. já agora digo uma coisa que muitos podem não saber e pode não ter interesse nenhuma. mas eu achei interessante que o Prémio Nobel da Paz, seja o único que é entregue em Oslo, na Noruega. Isto apenas porque sabendo da influência que as diplomacias têm na atribuição dos prémios escolheram a Noruega.


      " Nobel da Paz é um dos cinco Prémios Nobel legados pelo inventor da dinamite, o sueco Alfred Nobel. Os prémios de Física, Química, Fisiologia ou Medicina e Literatura são entregues anualmente em Estocolmo, sendo o Nobel da Paz atribuído em Oslo. O Comité Nobel norueguês, cujos membros são nomeados pelo Parlamento norueguês, tem a função de escolher o laureado pelo prémio, que é entregue pelo seu presidente atualmente o ex-primeiro-ministro, ex-ministro dos negócios estrangeiros, ex-presidente do Stortinget (parlamento) e atual Secretário-Geral do Conselho da Europa Sr. Thorbjørn Jagland. A sua primeira entrega foi em 1901.

      Atualmente há um sexto prémio associado: o Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel, também atribuído pela Academia Real das Ciências Sueca. Este prémio foi instituído em 1968, comemorando o terceiro centenário do Banco Central da Suécia (Sveriges Riksbank).

      Na altura da morte de Alfred Nobel, a Suécia e a Noruega estavam em União desde 14 de janeiro de 1814, pela qual o parlamento sueco ficava responsável pela política internacional, estando o Stortinget (Parlamento norueguês) apenas encarregado da política interna norueguesa. (A União desfez-se de uma forma pacífica a 13 de Agosto de 1905). Alfred Nobel decidiu, assim, que fosse a Noruega a decidir o laureado pelo Nobel da Paz, de forma a prevenir a influência de poderes políticos internacionais no processo de atribuição do Nobel.

      De acordo com a vontade de Alfred Nobel, o prémio deveria distinguir "a pessoa que tivesse feito a maior ou melhor ação pela fraternidade entre as nações, pela abolição e redução dos esforços de guerra e pela manutenção e promoção de tratados de paz".

      Ao contrário dos outros prémios Nobel, o Nobel da Paz pode ser atribuído a pessoas ou organizações que estejam envolvidas num processo de resolução de problemas, em vez de apenas distinguir aqueles que já atingiram os seus objetivos em alguma área específica. É, portanto, um prémio Nobel com características próprias porque, na altura, não tinha representação diplomática e estar menos sujeita a pressões. (retirado da Wikipédia)

      Eliminar
  6. O povo é manipulável, mal informado, ignorante, etc., etc., daí muitos resultados estranhos em eleições e referendos. Quanto ao Nobel da Paz, deveria ter sido dado às duas partes do conflito e não apenas a uma - Estocolmo a manipular...

    ResponderEliminar
  7. Penso que o Prémio deveria ter sido ex-aqueo, pois da parte das FARC também houve esforço.

    O povo e não foi só o povo , enfim..

    Bom domingo, amigo

    ResponderEliminar
  8. Actualmente o Nobel da Paz tem tanto valor e credibilidade como a candidatura da Kristalina.
    Que o diga Obama!

    ResponderEliminar