quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Eight days a week


Por estes dias está em exibição "Eight Days a Week", um filme sobre  o fenómeno " The Beatles".
Só por ser sobre os FabFour, decidi que iria ver.É que estes patuscos revolucionaram o mundo da música, e isso aconteceu quando eu era  ainda um imberbe adolescente.
Apesar do seu sucesso planetário, The Beatles mantiveram sempre os pés bem assentes na terra.
Nunca se assumiram como estrelas e insistiam que apenas estavam a fazer o que lhes dava gozo ( Foi por terem deixado de sentir esse gozo, que a banda se desfez cedo demais?).
O filme não dá resposta a essa pergunta, mas mesmo assim vale a pena ver. Quanto mais não seja para relembrar ( os mais velhos)  ou ver ( os mais jovens)o que é, realmente,  um sucesso estrondoso.  
Hoje, qualquer miúdo que vá a um desses concursos de caça talentos e recolha algumas opiniões positivas dos jurados, julga-se logo uma estrela.
Nos últimos 20/25 anos, os putos nascem com um conviccímetro incorporado, que distorce a realidade.
Não era assim no tempo dos "Beatles". Nem no meu...
Tenham um excelente fim de semana

5 comentários:

  1. Por acaso também é um filme que quero ver. Se não for no cinema é em casa. Mas vou vê-lo. Para aprender coisas sobre os quatro famosos que me escaparam quase de todo.
    É verdade que os garotos hoje são uns convencidos. Ninguém lhes dá nas orelhas com medo ainda assim não arranjem complexos e traumas. Como se isso não faça também parte da vida.

    Retribuo os votos de BFS (hoje é 4ª feira)

    ResponderEliminar
  2. Aqui em Leiria não passa, por isso não posso ver. Só se for a Lisboa ou se comprar o DVD. Esta terra não existe...

    ResponderEliminar
  3. Imortais!
    Como disse a Graça, aqui não passa :(

    Beijinho Carlos

    ResponderEliminar
  4. Fui ao cinema, mas ver o "Snowden". Gosto muito de Beatles, mas acho que esse tipo de filme vê-se melhor em casa... :)

    Olha quem vai de fim de semana prolongado... :D Bom fim de semana e uma beijoca, Carlos!

    ResponderEliminar
  5. Bom fim-de-semana prolongado, Carlos.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar