sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Assim fica difícil, né?

O presidente do Conselho Nacional da Juventude exige que o IEFP tome medidas para evitar que os patrões se apoderem indevidamente dos salários dos estagiários e os obriguem a pagar a Taxa Social Única.
As exigências de Hugo Rocha fazem todo o sentido, como já aqui salientei. Há, porém, um problema que tem de ultrapassar para que se possa fazer justiça: é preciso saber quem são os patrões que andam a vigarizar os estagiários e o Estado.
Ora o presidente do CNJ recusa-se a divulgar os nomes das empresas, alegando que as vítimas temem sofrer represálias. Assim sendo, não será fácil que se faça justiça.
Imaginemos que, num bairro, várias mulheres apresentam queixa em Tribunal, dizendo que foram violadas, mas se recusam a denunciar o violador. Como podem estas mulheres esperar que seja feita justiça?
O mesmo princípio se aplica no caos dos estagiários vigarizados por patrões sem escrúpulos. Ou denunciam os vigaristas, ou estão a contribuir para que outros patrões façam o mesmo. Ainda com maior à vontade, pois sabem que as vítimas nunca os denunciarão, com medo de represálias.
Para lutar pelos nossos direitos, é preciso por vezes fazer alguns sacrifícios e haver sacrificados. Hugo Rocha tinha obrigação de perceber isso e explicar a situação aos queixosos.
 Chamem-lhe roubo, esclavagismo, exploração, o que quiserem, mas isto é inadmissível.

6 comentários:

  1. Inadmissível e incompreensível! Afinal, num governo que se diz a favor dos trabalhadores oprimidos e explorados, há estômago para permitir situações degradantes e esclavagistas como as que aqui são denunciadas?
    Há coisas que não dão para entender...:(
    Continua o fechar de olhos e deixar que os patrões(desonestos) se aproveitem da necessidade da complementaridade do estágio, para agirem como abutres?
    Razão tem o meu filho que anda a envidar todos os esforços para sair deste país miserável.

    Bom fim de semana, Carlos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lamento desilusi-la, Janita, mas esta situaçao reporta ao tempo do governo anterior. Essa terá sido uma das razões que levou este governo a demitir um garnde numero de chefias do IEFP
      Bom FDS também para si. Espero vê-la por cá no domingo

      Eliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. De que tem medo Hugo Rocha? Apenas tinha duas alternativas: ou continuava calado ou indicava nomes. Assim é que não.

    O problema vem, é verdade, do governo anterior. E então? Se ninguém quis actuar na altura, por que se espera agora? Demitir algumas chefias no IEFP é já alguma coisa mas insuficiente. Há que cortar o mal pela raiz.

    ResponderEliminar
  4. ~~~
    MUITO BEM, CARLOS!

    Aplaudo a tua mensagem.

    Abraço ~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  5. É uma violência, ai que divulgar nomes das empresas, acredito que a necessidade de muitas mais vitimas fale mais alto e as denuncias ficam no baú.

    Leva tempo a limpar a porcaria que ficou!

    Beijinho Carlos

    ResponderEliminar