quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Those were the days (11)




Se os putos de hoje sentissem a mesma alegria que eu senti quando recebi de presente uma Kodak Instamatic, de certeza que  seriam mais felizes e não torceriam o nariz de enjoo e enfado, quando os pais lhes oferecem um smartphone que não seja topo de gama.

9 comentários:

  1. Essa seria topo da gama na altura : ) Nem todos os putos ( e nem todas as meninas) tinham acesso a essa tecnologia, Carlos!

    Gerações mais tarde e novas tecnologias e temos um fator de comparação. Pouca será a diferença. : )

    ResponderEliminar
  2. Os putos de hoje são tão felizes ou infelizes como os putos do seu tempo. Os putos que o Carlos aqui descreve são os putos de Cascais e arredores.

    ResponderEliminar
  3. É bem verdade... Mas eu, que sou dessa altura, nunca tinha visto uma máquina assim... «Todos diferentes, todos iguais»...

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  4. Nem todos os putos. Os meus netos não têm smartphone nem de, nem sem topo gama.
    Eu ainda era uma menina quando casei aos 16 anos e só tive uma máquina fotográfica por volta dos meus vinte e muitos anos. Também era uma Kodak, mas não Instamatic.

    Beijinho Carlos

    ResponderEliminar
  5. Se o Carlos recebeu essa máquina - ou outra igual - há muito mais de 50 anos atrás, tinha mesmo de sentir-se feliz! Esse modelo era o último grito das máquinas Kodak...Ora! :)

    ResponderEliminar
  6. Agora é o telemóvel com maquina que tira fotos com uma resolução XPTO e ainda transforma um sapo num gajo alto, loiro e de olhos verdes :))

    ResponderEliminar
  7. Muito bonita! Uma oferta luxuosa!
    Beijinho.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  8. A minha 1ª máquina fotográfica foi um daqueles caixotes da Kodak, embora o meu pai tivesse uma reflex analógica de origem japonesa, cujas fotos não era possível revelar em Angola mas tinham de ser remetidas para a Alemanha Mas nessa reflex não estava eu autorizado a mexer senão sob estrita supervisão paterna.

    ResponderEliminar