segunda-feira, 11 de julho de 2016

Foi bonita a festa, pá!

Aviso prévio:
Como não me dá muito jeito escrever posts enquanto conduzo, ou estou diante de um televisor a ver os lisboetas na rua a festejar a selecção, só agora venho aqui dizer o que penso e sinto.
Se não tiverem paciência para ler o post, recomendo-vos que vejam o vídeo que está no final do texto.

Como qualquer português, vibrei ontem à noite com a vitória da selecção portuguesa. Pelo que ela representa para a auto estima dos portugueses, por ter sido conquistada frente ao país organizador,  por ter sido uma reposta exemplar a quem apelidou a nossa selecção de  nojenta, por termos sido campeões a jogar mal, quando já perdemos títulos a jogar bem
 Seria no entanto hipócrita se dissesse que sempre acreditei que seríamos campeões europeus. Na verdade, nunca acreditei. Foi só durante a final que comecei a pensar nessa possibilidade. Primeiro, com a lesão de Ronaldo, pensei que um azar nunca vem só, mas  acreditei que sem ele a equipa poderia responder melhor aos ataques sucessivos dos "coq au vin"
Também não acompanhei as críticas dos que diziam que Payet  lesionou propositadamente o nosso capitão.
Compreendo que a "vox populi" pense assim, mas ver jornalistas desportivos dizerem-no e escrevê-lo na comunicação social, enoja-me e  demonstra bem o calibre de alguma desta gente com carteira de jornalista desportivo.
Nenhum jogador, por mais canalha que seja, lesiona um colega de profissão deliberadamente.
Depois, quando Griezmann falhou um golo que em condições normais não falharia, comecei a pensar que talvez fosse possível. Mas foi aos 89 minutos, quando aquela bola bateu na trave da baliza de Rui Patrício, que disse: vamos ser campeões com um golo de Éder. As pessoas à minha volta riram-se, mas lembraram-se das minhas palavras quando Éder bateu Lloris.
Depois do jogo festejei e confirmei o que sempre disse sobre Fernando Santos. Ele foi a alma da nossa selecção. É um grande treinador, um grande líder que uniu uma selecção de forma que não se via desde Londres 66, o grande obreiro deste título. Já tivemos equipas melhores do que esta, mas nunca tivemos um treinador que conjugasse a dimensão humana e a competência profissional de Fernando Santos.
Confesso que me surpreendi com o discurso de agradecimento do nosso treinador. Seja-se crente ou ateu, há que reconhecer que Fernando Santos  teve coragem ao assumir que as suas primeiras palavras foram de agradecimento para "Quem" o colocou à frente da selecção. Só grandes homens assumem a sua Fé nestes momentos. Chapeau!
Devo ainda dizer que, em minha opinião, o herói de ontem, no Stade de France não foi Éder, mas sim Rui Patrício.  De nada teria valido o belíssimo golo do jovem mal amado nascido na Guiné, se o guardião português não tivesse feito um punhado de defesas impossíveis ao longo do jogo.
Como portista, sou insuspeito se disser que a grande figura da selecção ao longo de todo o Euro 2016 não foi Cristiano Ronaldo, mas sim o guardião sportinguista. Esteve exemplar em todos os jogos e foi o jogador português mais regular em toda a competição, acompanhado de perto por Pepe e Guerreiro.
Bem, mas nada disto interessa, porque são apenas opiniões de um adepto leigo.  O momento mais importante de todo o Euro foi protagonizado pelo miúdo que vemos neste video. São momentos como este que me fazem acreditar que poderemos vir a ser um povo melhor.
Hoje já me emocionei mais de uma dezena de vezes ao ver este vídeo. Por isso o vou guardar aqui para mais tarde recordar. Quem ainda não viu, por favor não perca!



21 comentários:

  1. Uma crónica que quase me emocionou tanto como a noite de ontem, Carlos.

    A minha filharada está toda no Porto e quando ontem, depois de várias mensagens, me telefonaram para saber se eu ainda pertencia ao reino dos vivos, a mimha primeira frase: o herói desta noite é o Rui Patrício, um guarda-redes ainda melhor do que o vosso Manuel Neuer.

    Sempre acreditei na nossa equipa, talvez intuição feminina.

    Agora vou ver o vídeo, caso me seja permitido.

    ResponderEliminar
  2. Estou (quase) inteiramente de acordo contigo e o vídeo é uma pequena maravilha.

    ResponderEliminar
  3. Não posso ver o video.

    O Marcelo agora quer ir a Fátima agradecer sermos campeões da Europa. Ele e também o António Costa sempre em busca da popularidade fácil, mas essa, de Fátima é um F demais.

    ResponderEliminar
  4. O vídeo é comovente. E sou da sua opinião: Rui Patrício foi para mim o melhor jogador ao longo de todo o campeonato. Eu também não acreditava na selecção, mas, a partir das meias finais, a esperança teimava em acender.

    ResponderEliminar
  5. Tinha já visto o vídeo e acho-o extraordinário !
    A EuroNews acha que, até por isto, nós merecemos o título !!! :)
    As crianças são de facto a coisa mais maravilhosa do mundo !
    Emocionou-me imenso e ponho-me no lugar do adepto francês ! Creio que este acto o "tocou" profundamente !
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esperemos que esse adepto tenha tido pena de serem tão chauvinistas, porque desta vez a torre não se acendeu com as cores da bandeira dos campeões. Quem sobrevoasse Paris, pensaria que tinham sido os campeões. Que grande lição demos aos couchons, já que os portugueses só servem para limar a merda deles.

      Eliminar
  6. Há uma coisa que acrescento
    as crianças são a imagem do berço

    não comento o jogo
    este vídeo põe-nos de acordo

    ResponderEliminar
  7. Quando Zidane, no seu último jogo, no campeonato do mundo de 2006, em Berlim, deu aquela cabeçada, que podia ter matado Materazzi, foi sem querer.
    Foi bonito, mas tenho pena que uma criança, inocente, que terá de aprender à sua custa, se não quiser ser pisada como muitos dos humilhados portugueses.Concordo plenamente com o que disse sobre o seleccionador e o Rui Patrício, mas tenho pena que o Carlos continue a ser sectário e não se considere apenas português (talvez por ter viajado muito e bem). Se o seleccionador e os seleccionados tivessem pensado assim não teríamos sido campeões.
    Sempre tivemos as equipas que melhor jogavam mas que perdiam. Agora tivemos a que jogou pior mas fomos campeões. Nos últimos momentos, com os olhos do mundo em cima do jogo, já não podiam fazer-nos mais mal.
    O Platini conseguiu o seu intento: Não ser suplantado por Ronaldo, atirando-o logo para fora de jogo, no início. Se não acredita veja as imagens em em câmara lenta. O 8 e o 3 fizeram uma sanduíche com ele. Mas no banco ele foi mais treinador e líder que o Fernando Santos. Juro que não sou jornalista de desporto.


    P.S.- Cuidado com os pontos na carta ao escrever enquanto conduz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sectário, eu? Até elogiei um jogador do SCP! Há muito que aprendi a ver futebol sem facciosismo, Anfitrite.Como já escrevi muitas vezes e reafirmo neste post, nem sempre ganha quem joga bem. O normal é mesmo o contrário. Por isso escrevi há dias no FB que me estava marimbando se Portugal jogasse feio, mas ganhasse e, a propósito, lembrei que o Brasil de 82 foi a selecção que melhor futebol jogou desde sempre, mas foi eleiminada precocemente. Já a Itália foi campeã da Europa e do Mundoa jogar mal. Portanto...
      Quanto à falta sobre o CR 7, há dezenas de jogadas idênticas nas grandes competições. Acho injusto continuarem a acusar Payet de ter feito propositadamente. Nem o escroque do Platini o faria. A cabeçada do Zidane foi maldosa, sim, mas foi no calor da luta e não acredito que tenha sido intencional. Lembro que o próprio Matterazzi já desvalorizou o episódio. Propositadas são as dentadas do Luis Suarez mas, mesmo assim, não são dceliberadas, mas fruto do calor dos jogos.
      Esteja descansada, porque não escrevo enquanto conduzo. Foi só uma resposta a uns comentários num outro post,em que me criticavam por não ter ainda saudado os jogadores portugueses.

      Eliminar
    2. Elogiou um do SCP, mas maltrata outro que já lhe pertenceu e que eu passei a admirar mais neste campeonato, para pôr em evidência a "raiva" que tem ao Benfica que é do povo humilde:). E Ninguém me tira da cabeça que platini(+um escroque da UEFA) está por detrás do mal que fizeram a CR, além deles terem pensado que partiam os ovos todos, que estavam no mesmo cesto, mas distraíram-se e era pela sua vaidade que eu esperava que eles falhassem. Faça a sua auto-critica e veja que não consegue ser isento (para mim) quanto às suas preferências. Eu como não sou fanática, nem vi um único jogo, só vejo as análises depois. mas como portuguesa fiquei contente e continuo a pensar que foi apenas a impossibilidade de mais uma maldade que nos levou à primeira vitória neste campeonato e na nossa história. E jamais espero ver outra vitória deste género. Nem o mundial me interessa. Quero é ter alguns programas para ver. O que me tem valido é a RTP2, ao sábado, com os seus excelentes concertos e mais umas coisas por acaso.
      Fique bem e esqueça a minha genuína sinceridade, porque eu não quero magoar ninguém. Apenas também gosto de dar as minhas dentadas de leoa, quando vejo uma resposta que considero imbecil.

      Eliminar
    3. Por acaso é verdade, a rtp2 no verão porta-se bem:)

      Eliminar
  8. Claro que tive paciência para ler o que o Carlos escreveu.
    Salvo muito raras excepções, é que me impaciento! Talvez, quando o Carlos também anda com pouca paciência e desata a desancar a torto e a direito.

    Quanto ao vídeo, ainda não tinha visto, mas vi estas emocionantes cenas hoje na TV e ouvi a mãe do garoto e o próprio menino ser entrevistado.
    Uma ternura, que só um coração empedernido não se comove.

    Sinto sempre a tristeza dos que perdem e fico triste quando os vejo chorar. Coloco-me no lugar deles. Penso que a criança sentiu essa mesma dor e na sua pura inocência, que ainda não age a pensar em mediatismo, confortou uma pessoa que viu chorar. A solidariedade na sua face mais pura.
    Obrigada, Carlos!

    ResponderEliminar
  9. Carlos, se não viu ainda, veja estas fotos, em especial a 2 e a 13
    http://www.jn.pt/desporto/galerias/interior/o-momento-da-lesao-de-ronaldo-apos-entrada-de-payet-5276589.html

    ResponderEliminar
  10. Não sei com que intenção foi, mas que "despachou o Ronaldo, despachou...

    Li noutro blogue:

    "Dito e feito
    10 Julho 2016 às 20:54 por Valupi 8 comentários

    Num telejornal da France 24, à hora de almoço de hoje, um francês em estúdio dizia que Ronaldo iria ser alvo de faltas violentas de forma a que ficasse inibido e, com sorte, lesionado. Era o único perigo para a França e, se anulado, a vitória estava no papo. A jornalista sorria de aprovação e terminou a conversa desejando que essas faltas não levassem a cartões nem a grandes penalidades. Os dois riram de satisfação e esperança."

    Quanto ao fanático discurso religioso do seleccionador só lhe digo que o estado português é laico, quem o represente tem de ter isso em conta. Deve respeitar todos os portugueses: crentes (de todos os credos), agnósticos e ateus.
    Claro que como cidadão Fernando Santos, tem o direito à palavra e à opinião.

    Quanto ao Rui Patrício concordo que foi o esteio da selecção.

    Quanto ao chauvinismo era de esperar, é normal neles, o senhor Chauvin não era francês?

    Ó "quell´ennui", a concierge vai ter todas as manhãs um sorriso irónico, quando disser BONJOUR MADAME.

    duarteO

    ResponderEliminar
  11. Corre uma petição em França para se repetir a final europeia.

    Ora essa, já se viu o pais das porteiras e dos que trabalham nos bâtiments serem campeões.

    Ver:

    http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=621275

    duarteO

    Que vão despejar o lixo e assentar blocos!

    ResponderEliminar
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  13. Se há um povo que sabe perder, são os humildes franceses, daí compreendo a simpatia que o Carlos nutre por eles na sua crónica.

    Claro que o Payet não lesionou propositadamente o nosso capitão. O Dimitri é um homem de bem, não é nenhum nazi alemão.

    Os franceses gostaram tanto da actuação da equipa portuguesa que já meteram uma petiação para repetir o jogo.

    Vive la France!

    ResponderEliminar
  14. Sei que a minha frase é meio encriptada, ou talvez nem tanto assim.
    Há, por vezes, alguns comentários que são de uma petulância que me deixam perplexa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Petulância é a melhor qualidade dos franceses, Célia, a nossa petulância é apenas imitação.

      Eliminar
  15. Olá,Teresa!
    :-)
    Mesmo mimética, a petulância magoa.
    Nada a ver consigo!

    ***

    ResponderEliminar
  16. ~~~
    LINDO O VÍDEO!

    E tu por o partilhares...

    ÓTIMAS FÉRIAS.

    ABRAÇO AMIGO.
    ~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar