sexta-feira, 1 de julho de 2016

Falemos então dos alemães...


Parece que está na moda bater nos alemães. Eu, porém, com a mania de ser do contra, estou aqui para os defender. Até porque estou de férias, período em que sou habitualmente benévolo com os tipos que me exploram e querem colonizar este país.
Não esperem, por isso,  que eu faça críticas ao paraplégico, por ter dito que Portugal iria precisar de um segundo resgate. Só por má fé se pode dizer que as suas palavras serviram às mil maravilhas para desviar as atenções sobre a crise do DeutscheBank. Schaueble disse isso porque é nosso amigo e gosta de ver o nome de Portugal na imprensa mundial. Claro que, ao perceber a indignação dos portugueses, apressou-se a dizer que tinha sido um lapso e foi mal interpretado pelos jornalistas.
Ontem também não precisávamos de ter sofrido tanto se o árbitro alemão tivesse marcado uma grande penalidade cometida sobre CR 7 do tamanho da Torre Eiffel, que só ele não viu. Mas que esse erro do árbitro não sirva para mais um ataque aos alemães.  Ele não marcou o penalty sobre o CR7 por uma questão de humanidade. Ele é admirador do nosso capitão e, depois de o ter visto falhar escandalosamente dois golos, não o quis sujeitar à humilhação de falhar mais um penalty.
Os alemães são uns gajos porreiros, são nossos amigos e, no fundo, nós adoramo-los. Se assim não fosse, não  se viam tantos Mercedes, BMW e Audi nas  estradas portuguesas. Isto para já não falar dos electrodomésticos que abundam nos lares portugueses e de muitos outros produtos que fazem as delícias consumistas de milhões de tugas que se queixam de ser explorados pelos alemães, mas ainda lhes pagam para continuarem a ser explorados.
Vá lá, façam um exame de consciência e admitam que adoram os alemães e a má vontade e insultos que por vezes lhes dirigem, são apenas fruto da inveja que têm deles.
Tenham um excelente fim de semana e habituem-se a falar alemão, porque vai dar jeito quando, formalmente, formos reconhecidos como uma colónia germânica. 
Aufwiedersehen

10 comentários:

  1. Benévolo, o Carlos???

    E eu digo que este texto é sarcástico.

    Já temos tantos problemas, que só nos faltava Portugal como colónia para abalar ainda mais as nossas finanças.

    Como vimos com o BREXIT, cada povo puxa a brasa à sua sardinha e o resto são tretas.

    Beijinho da amiga "quase" alemã, que detesta tanto o seu amigo António como o Carlos o meu amigo Wolfgang.

    ResponderEliminar
  2. Os alemães confiam no povo português, mas não nos incompetentes: António Costa e Mário Centeno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso, os alemães confiaram nos competentes Pedro Passos Coelho e Maria Luis Albuquerque. Terão ficado arrependidos mas só repararam no lapso em Outubro de 2015.

      Eliminar
    2. Não, Observador, os alemães não confiaram nem no Pedro Passos Coelho, nem na Maria Luis Albuquerque, os alemães não são estúpidos.

      Além disso, o Wolfgang Schäuble e a Angela Merkel não são a Alemanha e, o reinado deles está por um fio.

      Eliminar
    3. Os alemães nunca fazem nada por mal, bem pelo contrário, António. O factoi de terem enriquecido graças a um perdão de dois terços da monumental dívida. O facto de andarem há mais de um século a chular outros povos, é apenas mera coincidência. O que eles são é muito distraídos e roubam os outros sem se aperceberem, coitados!

      Eliminar
  3. Não preciso de fazer exame de consciência Carlos, porque quando não gosto, não gosto mesmo! Ah e o árbitro não era paraplégico, mas fez-se de cego.
    E falar alemão, não tenho grande jeito.

    Beijinho Carlos, continuação de boas férias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpe por eu responder ao seu comentário, Flor de Jasmim, mas a blogosfera é convívio.

      O Carlos tem razão no que respeita ao árbitro, mas como é que a Flor de Jasmim lhe chama cego, se a senhora não viu o jogo. Li isso, noutros comentários que escreveu.

      Eliminar
  4. ~~~
    ~ MUITO BEM, CARLOS BARBOSA! MUITO BEM!

    ~~~~~~~~ EXCELENTE IRONIA, AMIGO.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  5. Dentro destas quatro paredes se inicia o meu dia.
    Enquanto mudo de farda no último bocejo, que faz esquecer a cama.
    Ouço as indicações do que fazer e os erros cometidos depois de tantos avisos.
    Por dias tenho companhia. Portugal alegra-nos dos sonhos à alegria!
    Tudo isto na Alemanha, onde no meio de tantos a falar varias línguas e dos alemães a falar que se nao fossem eles seriamos pior do que a Grécia. Aprendo duas palavras alemãs por dia!

    ResponderEliminar