segunda-feira, 25 de julho de 2016

Eu sei que sou um sacaninha...

...mas há coisas que não me saem da cabeça.
Ano passado, por esta altura, avizinhava-se a campanha eleitoral e Passos Coelho deixava-se fotografar por tudo quanto era jornal e revista e chamava as televisões para se mostrar ao lado da mulher Laura, que lutava contra um cancro.
Um ano depois Passos Coelho está todos os dias nas rádios, televisões e jornais, fala da vinda do Diabo a Portugal com apreço,  mas de Laura nem sinal e da doença que a afecta nunca mais se ouviu falar.
Não, isto não é só uma crítica a Passos Coelho... é também ao jornalismo feito por badalhocos.

29 comentários:

  1. Não seja sacana, o mais provável é que a mulher de Passos Coelho esteja pior e incapaz de aparecer em público. Os jornalistas adorariam poder falar mais dela, o público adora tragédias, mas parece-me que apesar de tudo, Passos terá o mínimo de decoro, pelo menos com a própria mulher...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sobretudo se fizer a esta o mesmo que fazia à outra, que tantas vezes a feriu com porrada.

      Eliminar
    2. Não me diga que os homens portugueses batem na mulher, pensei que eram só os homens alemães, Atena?!

      Eliminar
    3. Será que o António Costa também bate na mulher?

      Conte-me tudo, Atena, não me esconda nada!

      Eliminar
    4. Façam-me um favor, não brinquem com coisas sérias. Passos pode ser tudo o que quiserem, mas a mulher dele ainda merece algum respeito. Se continuarem nisto não se podem queixar do jornalismo de sarjeta do CM. Ele limita-se a repetir o mexerico que abunda nas redes sociais a uma outra escala... Eu sei, é uma chatice ser-se politicamente correto, mas há mesmo coisas que se se pensam, não se devem dizer...

      Eliminar
    5. Concordo absolutamente com o que o Jaime escreve aqui.

      Eliminar
    6. O Jaime Santos não compreendeu a ironia dos meus comentários. E o Carlos?

      Eliminar
    7. Não ematejoca, está enganada, compreendi perfeitamente, sei que é dada a ironias. O problema é que no contexto presente a ironia não tem piada nenhuma, e também não serve de desculpa para se dizerem disparates...

      Eliminar
    8. Concordo, Jaime, que a minha ironia não tem piada nenhuma, e também não serve de desculpa, se eu lhe disser que não resisto de responder aos comentários da Atena/Gisela.

      Eliminar
    9. Eu acredito que, ao fim de tantos anos de convívio virtual, jadetecto a sua ironia a léguas, Teresa. O problema e que as vezes engano-me...

      Eliminar
    10. Se os meus comentários são irónicos ou simplesmente parvos, ficam ao julgamento do Carlos.

      Uma coisa é certa: a vida familiar do Pedro Passos Coelho ou do António Costa não me interessa absolutamente nada.

      Eliminar
    11. A mim também nao, Teresa. Por iso e que considero miserável e so possível numa mente doentia e sem escrúpulos, que um político ande a exibir a doença da mulher (ou de um outro familiar)com fins políticos. Vai muito além da sacanice. PPC e doente mental e um escroque desprovido de qualquer sentimento. E eu sei do que falo quando faço estas afirmações, Teresa.

      Eliminar
    12. Respondo com as palavras do nosso amigo Pedro:

      "Essa exposição da doença de um ser humano, seja quem for, é que me fere"

      Um outro assunto:

      Embora eu esteja sempre a picar a Atena/Gisela, até gosto dela, por isso, pergunto ao dono deste blogue, o nosso querido amigo Carlos, (sem ironia) se posso responder ao último comentário dela, sem que o Carlos me mande para o diabo.

      Eliminar
    13. Teresa:
      Já anda por aqui há muitos anos, por isso sabe que não interfiro nos comentários entre os leitores, excepto quando se trata de anónimos. E eu nunca a mandaria para o Diabo, Teresa. Por muito bom que o Inferno possa ser, não é lugar que eu recomende a ninguém.

      Eliminar
  2. E assim acabam os sonhos se é que tiveram esse direito. http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=623107

    ResponderEliminar
  3. O barómetro da Aximage mostra que a maioria dos portugueses está satisfeita com o Governo de António Costa.

    O famigerado Pedro Passos Coelho é o pior com apenas 6,5 pontos, daí o Carlos não precisar de ser sacaninha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito tanto em sondagens, como no Pai Natal, Teresa:-)

      Eliminar
    2. O seu amor-ódio pelo Pedro Passos Coelho, Carlos, fá-lo esquecer que o homem é um cadáver político.

      Eliminar
  4. Ninguém me tira a ideia de que o aparecimento de Laura ao lado de Coelho, foi obra da máquina pafiosa, com a devida autorização de ambos.

    ResponderEliminar
  5. Se me permite Snr.Carlos Barbosa de Oliveira,gostaria que com o seu talento e visão humanista me elucidasse sobre o porquê de os Snrs. Jornalistas e demais mídia dão aceitação a um actor politico iletrado,
    de muito fraca moral e atitudes lastimáveis de boa ética.

    Agradeço a atenção dispensada.

    ResponderEliminar
  6. Os media interessam-se pela notícia, não pelas pessoas. Como os snipers - e os outros - têm um único objectivo.

    ResponderEliminar
  7. E eu que também sou uma sacaninha do caraças, concordo consigo!! Os nossos media são cá de uma marca que até metem nojo. Uns vendidos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os nossos media são também uma boa marca, Graça, como por exemplo o jprnal BILD ou o jornal EXPRESS, mas se ninguém comprasse esse tipo de jornais, eles escreviam de outra maneira.

      Eliminar
  8. Foi o Passos coelho que não respeitou a doença da mulher. Ele utilizou-a em público como um trump. Hoje não foi à reunião com o PR por questões de Saúde. De quem? Será que agora não é necessário (ainda)? ele nem da saúde dele soube cuidar. Muito menos da nossa que a estragou por muitos e longos anos.

    Ema, quando mudo de navegador mudo de identidade. resultado de ser bipolar. Mas o tipo de escrita mantêm-se: sempre ácido e feroz, nunca de lamber botas, nem de mexer no que está bem. só aponto o que deve ser mudado. Fico irritada com os servilismos e as louvaminhices. faz-me lembrar o espírito servilista dos portugueses e hipócrita (de acordo com as circunstâncias). O português que mais lutou para lhes dar o direito de dizerem o que pensam é o mais insultado nas redes sociais. Eu nunca fui sacana. Sou sincera. Digo o que penso. E muitas vezes com prejuízo próprio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Gisela, que reconheci o tipo da tua escrita. Tu lá tens as tuas razões para escreveres de uma forma tão ácida e às vezes até feroz. Eu não tenho o direito de desrespeitar as tuas amarguras e, peço-te mil desculpas pela parvoíce de te responder em tom de brincadeira.

      No tempo em que vivi em Portugal, o português que mais lutou para dar o direito aos portugueses de dizerem o que pensam foi o Álvaro Cunhal.

      Abraço-te com amizade e continua sincera com os outros e contigo própria.

      Eliminar
    2. Obrigada. Não tens de pedir desculpa. Quem vai à guerra dá e leva. Por alguma razão estamos a conversar. A minha amargura não se deve propriamente à minha pessoa, deve-se mais ao mundo que me rodeia. Não tenho pejo nenhum em dizer que sou uma pessoa de mente aberta e que tive o azar de ser inteligente mas não ser esperta. Outras vezes tenho de me fazer mesmo estúpida para não entrar em conflitos que não valem mesmo a pena. Ainda por cima tenho uma sensibilidade doentia. às vezes vejo-me grega para salvar uma pobre abelha que tem o azar de ficar com as asas molhadas por causa do vento. E já fui picada. Eu tenho sempre água disponível, no quintal, em recipientes para tudo. Não é o zica que me incomoda. Eu tenho de ser rebelde porque foi a minha rebeldia que me deu forças para chegar onde cheguei e para sobreviver, por enquanto. Não me lamento, estou me maribando para o dinheiro, desde que tenha o essencial para sobreviver. tenho impressão que até palha sou capaz de comer. Hidratos de carbono (de combustão lenta) é que não me podem faltar porque a cabeça assim o exige porque nunca pára uma batata grande chega). Até fico irritada com os novos chefes que tratam a cozinha com pinças. Tenho a impressão que estão a gozar connosco. Há tanta forma de ser útil e não pôr só gente a lavar pretos E, apesar de tudo gosto muito da pessoa que sou. E vejo o carinho com que sou tratada por antigas colegas que tenho encontrado no FB. Mas também sei que muita gente disse mal de mim e eu tinha as costas largas para tudo, quando os outros não eram capazes de assumir as suas responsabilidades e queriam estar de bem com deus e com o diabo. E, apesar de tanta delacção nunca criei conflitos com ninguém. É tão bom estarmos em paz connosco.
      O Carlos que me perdoe estas extensas conversas, que ele pode chamar da treta, mas que me servem de catarse. É difícil encontrar um sítio onde nos possamos manifestar assim. já houve um, mas o dono (um amigo do Carlos e da idade dele) ficou derretido quado viu que tinha tantos seguidores no FB. Agora aproveita para fazer publicidade à sua actividade e todas as noites vai pôr um vídeo, ou um pensamento, dos outros, para ir entretendo o maralhar. Não assume a autoria de nada, apesar de ser autor, apenas faz copiar e colar. não estou a dizer nada que não tenha já dito ao próprio. E se passo por lá, muito esporadicamente é só para deixar uma ferroada, nem que seja a algum comentário manhoso ou meloso. Um abraço também.

      Eliminar
  9. Essa exposição da doença de um ser humano, seja quem for, é que me fere, Carlos.

    ResponderEliminar