quarta-feira, 13 de julho de 2016

Curriculum de um biltre à procura da Europa


O homem que tem, entre os seus amigos, alguns dos mais destacados criminosos e corruptos portugueses;
O homem que enriqueceu graças à influência dos seus amigos criminosos e ladrões;
O homem que recebia donativos da  família Espírito Santo;
O homem que "comprou" o director de um jornal  para vender uma história falsa sobre  escutas, com o intuito de fazer chegar ao poder a sua dilecta amiga, então presidente do PSD;
O homem que nunca tem dúvidas e raramente se engana ( o que prova que as escolhas que fez nas três alíneas anteriores foram deliberadas e não acidentais);
O homem que assistiu impávido aos insultos dirigidos a Portugal pelo PR da República checa;
O homem que derrubou um governo com incentivos à revolta do povo nas ruas contra a  austeridade;
O homem que, depois de ver o seu partido vencer as eleições, criticou esse mesmo povo por protestar contra a austeridade; 
O homem que declarou sentir-se confortável a viver  em ditadura;
O homem que recusou uma pensão a Salgueiro Maia, mas a atribuiu a dois ex agentes da PIDE;
O homem que recusou estar presente no funeral do nosso único prémio Nobel da Literatura e proibiu que um livro de Saramago concorresse a um prémio europeu;
O homem que recusou felicitar Carlos do Carmo quando recebeu o Grammy;
O homem que ordenou a um dos seus governos que votasse a favor do apartheid na África do Sul;
O homem que apadrinhou a entrada de um ditador para a CPLP;
O homem que, em plena crise, viajava acompanhado de séquitos ao estilo da corte de D. João V; 
O homem que  fomentou a divisão entre os portugueses e viveu uma década num palácio, à custa dos contribuintes e os insultou ao faltar às comemorações da implantação da República, no último ano do seu mandato...
Tem a falta de vergonha, de pudor e de honestidade suficientes para ir a um Conselho de Estado apoiar as sanções contra Portugal.
Pena que a comunicação social não esclareça se Passos Coelho apoiou Cavaco mas, embora a comunicação social não o diga, ficamos hoje a perceber que, dentro em breve, Cavaco será convidado para um lugar de destaque numa qualquer instituição europeia de mafiosos.



7 comentários:

  1. Caro Amigo permita-me que assim o trate.Adoro o queo Senhor escreve.E este sobre o biltre encheu-me as medidas e elevou o meu ego.
    Bem haja.

    ResponderEliminar
  2. Carlos, tenho tanto nojo por esta amiba, que só de ouvir ou ler o nome dele fico enervada. Foi, de facto, o maior verme que nos calhou na história. A ele se deve tudo o que Portugal sofre e sofrerá, desde que foi ministro das finanças. Acho que ninguém sabe a legislação que este homem criou para não falar nas opções que tomou, que tanto prejudicaram o nosso país, incluindo medidas sobre os funcionários públicos, para favorecer retornados. Não vale a pena dizer mais nada porque o mal já está feito. Eu teria dado a minha vida para me ver livre deste monhanheiro, nojento, ladrão e todos os piores adjectivos que pudesse criar.
    Ele tem um pequeno descendente, que ajudou a desorganizar o mundo, que é um escarro que se chama durão barroso, a quem eu desejo que tenha a mesma sorte que António Borges. Pena é que seja a mulher, uma ilustre algarvia, que esteja a sofrer em vez dele. Também tenho de me socorrer do além, para entrar na onda e na justiça divina. O diabo que os carregue

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bom que continuemos a sentir asco e nojo dele e doutras figuras similares da política tuga.

      Eliminar
  3. Sensação de alívio, de libertação, ao ler o texto do Carlos por ter elencado de forma total as patifarias dessa múmia paralítica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que este post serviu para lhe dar algum conforto, Célia.

      Eliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar