terça-feira, 26 de julho de 2016

Coisas que aprendi nos últimos dias

Não ler jornais, nem ouvir ou ver noticiários portugueses faz bem à saúde;
Não há terroristas na Alemanha, porque foram todos para França;
Os gajos que andam a matar e ferir  infiéis são todos malucos;
O governo alemão está cheio de pirómanos. Pensava que eram  malucos como todos os pirómanos, mas afinal são terroristas que querem destruir a Europa.

16 comentários:

  1. É difícil seguir o seu exemplo, Carlos. Neste momeento, vejo o Tagesschau das 8 horas.

    Os turcos e os seus descendentes formam o maior contigente de estrangeiros e descendentes na Alemanha: cerca de 3 milhões dos habitantes alemães têm raízes na Turquia. 99% fiéis ao presidente turco, por isso, o nosso governo tem de ter muito cuidado com a língua.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, o respeitinho é muito bonito, não é, Teresa? Vou sugerir a Antonio Costa que invente um golpe de estado e aos emigrantes portugueses na Alemanha que se comportem como os turcos, para ver se o governo alemão tem mais respeito por Portugal.

      Eliminar
    2. Mesmo antes do golpe, havia sempre o cuidado de não irritar a comunidade turca.

      Lembra-se do romance mais visionário e realista: Submissão?

      Eliminar
  2. Teresa, o Carlos fala em jornais portugueses. Se ouvir o que todos os media portugueses dizem ao mesmo tempo, também se passava. Acho louvável a maneira como assume a posse do seu governo.
    Ontem esqueci-me de dizer que se o António Costa batesse na mulher talvez não ficasse sem resposta. basta saber da história e cerimónia do casamento deles para ver como ela é uma mulher sem peias.

    ResponderEliminar
  3. Embora eu nem esteja satisfeita com o governo alemão, é, no entanto, o meu governo. É aqui que vivo. É aqui que vivem os meus filhos. A minha vida é aqui.

    Quem é filho de uma Maria João Palla não bate em mulheres. Foi uma pergunta de mau gosto. Perdão!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António Costa é filho de Maria Antónia Palla, Teresa...

      Eliminar
    2. Eu sei, Carlos, por isso, é que escrevi que um filho de uma mulher como a Maria João Palla não bate em mulheres.

      Eliminar
    3. Talvez eu seja estúpido, mas não percebi, Teresa. Quem é Maria João Palla?

      Eliminar
    4. deve ser uma pessoa que gosta de usar paulada.

      Eliminar
    5. Enganei-me no nome, Carlos. Claro que me referia a Maria Antónia Palla, a mãe do António Costa.

      Conheci a Maria João Palla em casa dos meus tios em Lisboa, que pertence ao clã dos Palla e que não gosta de usar paulada.

      Eliminar
    6. Ema, o caso é mesmo grave! Clã só conheci o dos palha e esses adoravam brincar com os cornos dos toiros.

      Eliminar
  4. "a leitura matutina do jornal é uma espécie de prece realista" (Hegel)

    A leitura de um (qualquer) jornal permite-me saber o que não saberia se o não lesse, por exemplo, até que ponto a manipulação é a base (pilar) desta "democracia"...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão, Rogério, mas a manipulação chegou a um tal estado de desvergonha que me deixa com os nervos em franja. Parar uns dias está afazer-me bem e a descobrir alguns casos interessantes de mentira pura e dura praticada por alguns jornalistas tugas da área economica. É que eles têm o despudor de fabricar notícias, citando instituições ejornais estrangeiros, para darem mais credibiidade e depois constata-se que é tudo mera invenção. Para mim, chega de jornalismo feito por palhaços que não são mais do que paus mandados de grandes interesses.

      Eliminar
  5. Como também não tenho lido jornais, não entendi todas as subtilezas do seu post. Outros dias virão, para já faço greve ao jornalismo - férias são férias! :)

    Beijocas e continuação de boas férias!

    ResponderEliminar
  6. Estamos sempre a aprender, Carlos.
    Mesmo a prender o que devemos deixar de lado.

    ResponderEliminar