quinta-feira, 16 de junho de 2016

Perdoai-me, Senhor, por ser tão desconfiado

Talvez haja por aí muita gente a acreditar  que a deputada britânica  hoje assassinada foi vítima de um tresloucado. Eu não.
A História ensina-nos que devemos desconfiar de actos tresloucados, quando a sua consequência altera o rumo dos acontecimentos. Por isso me convenço, ainda mais, que no dia 23 os ingleses votarão por permanecer na UE. Com um pé dentro e outro fora, como sempre fizeram, mas com Cameron a salvar a pele e a Europa a respirar de alívio. 
Em função das últimas sondagens, que dão a vitória ao Brexit, era preciso fazer uma vítima que alterasse o rumo da História. Só falta saber se foi suficiente.

19 comentários:

  1. A verdade é que a deputada assassinada defendia a permanência do Reino Unido na UE.
    Então ... é só esperar mais uma semana.

    ResponderEliminar
  2. O Carlos pensa, que a deputada Jo Cox, do Partido Trabalhista britânico, que é contrária ao "Brexit", e que levou dois tiros na cidade de Birstall, durante um encontro com eleitores, a mando da Queen?

    A parlamentar foi levada ao hospital de Leeds em estado grave ou foi mesmo assassinada?

    Por mim os britânicos podem sair à vontade — já estou farta que eles queiram sempre um "chouriCanço" extra — mas vão ficar com 67% de votos a favor da UE.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acabo de ouvir no Tagesschau que Jo Cox acaba por morrer.

      Afinal a minha piada acerca da Queen não tem piada nenhuma, mas então, também não compreendo o que o Carlos quer dizer com a sua desconfiança.

      PS: Queria escrever "chouriço extra".

      Eliminar
    2. Simples, Teresa. Não acredito que tenha sido um fanático a fazer aquilo, mas dá muito jeito que as pessoas pensem assim, para influenciar os defensores do Brexit a inverterem o sentido do voto.

      Eliminar
    3. Acredito que dá jeito, mas o Carlos não acredita que alguém a mandou matar para influenciar o povo britânico?

      Estou tão chocada que já não quero ver o jogo.

      Eliminar
    4. Claro que acredito. É isso mesmo que digo na resposta ao seu comentário anterior

      Eliminar
  3. Nem sei que diga sobre a hipótese que tu levantas. Na verdade custa-me a crer nela.

    ResponderEliminar
  4. Nem sei que diga sobre a hipótese que tu levantas. Na verdade custa-me a crer nela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quantos anos nos andaram a enganar com os assassinos de Kennedy e de Sadat, Francisco? Hoje sabemos quem foram os mandantes. Acredito que um dia saberemos a verdade sobre a morte de Jo Cox.Ou de Kadhaffi.

      Eliminar
    2. A Jo Cox não tinha o calibre de um Kennedy, ou de um Sadat, ou de um Kadhaffi. A morte desta jovem mulher deixa-me mais triste do que a morte desses políticos, que pouco me importa de saber quem os matou.

      Eliminar
    3. Não interessa o alvo, mas sim a mensagem, Teresa. É o ABC da política rasteira,misturada com outros interesses. Desculpe a sinceridade, mas o seu comentário é um bocadinho redutor...

      Eliminar
    4. É redutor resumir Portugal a Ronaldo, no entanto, também o faço, Carlos.

      Beijinhos e bom fim de semana.

      Eliminar
  5. Não tinha pensado nisso, mas... não sei, não! É que também sou por de mais desconfiada...

    ResponderEliminar
  6. Fico chocada, até onde se pode chegar???
    Há tantos, tantos mistérios por resolver...
    xx

    ResponderEliminar
  7. ~~~
    Parece-me uma hipótese muito plausível...
    O mundo parece estar num processo de regressão civilizacional!
    Bj.

    ResponderEliminar
  8. Não quero acreditar nessa possibilidade, Carlos.
    Acredito que foi mesmo um fanático, um tresloucado que a assassinou.

    ResponderEliminar
  9. Talvez a intenção não fosse matá-la, mas sim mandá-la para os cuidados intensivos durante uns meses!
    Entretanto a velha albion continuará a "chular" a Europa.

    duarteO

    ResponderEliminar
  10. De acordo com o Guardian, o presumível assassino era alguém sem cadastro, aparentemente com problemas psíquicos. Admito que o atual caldo de cultura xenófobo o tenha levado a fazer isso, mas mais, não me parece nada. Esqueçam os supostos nobres motivos que poderão levar o RU a sair da UE. A campanha centra-se na imigração... Será que o que aconteceu pode levar os Britânicos a alterar o seu provável sentido de voto? Veremos. De todo o modo, não é nada bonito brincar com a morte das pessoas ou fazer alegações que até mais ver são infundadas. O problema de qualquer teoria da conspiração é que implica que todos os intervenientes fiquem calados o que francamente é muito difícil, dada a natureza humana...

    ResponderEliminar