quinta-feira, 9 de junho de 2016

O céu é o limite?





Só razões muito fortes de interesse nacional,  que coloquem em causa a sobrevivência da instituição ou o sistema financeiro e, por via disso, as poupanças  de milhões de portugueses, podem explicar uma escandaleira como esta.
Não me venham é dizer que essa foi a condição imposta pela UE para autorizar a injecção de capital na CGD. Culpar a UE por medidas impopulares era o argumento utilizado pelo governo anterior. Do actual, espero  transparência e lealdade.
Nem a perspectiva optimista desta questão ( se a geringonça resiste a isto, vais ser muito difícil derrubá-la) me sossega. Bem pelo contrário. Se BE e PCP aceitam a situação sem grandes protestos, então é porque há uma razão muito forte para tomar esta medida. Ora é precisamente isso que me preocupa!

3 comentários:

  1. E essa razão vem da UE.
    Não, Carlos, não era desculpa, é mesmo assim.

    ResponderEliminar
  2. É assim Carlos. Tem que se portar como uma entidade privada e não pode acontecer que quem tenha mais responsabilidades, ganhasse menos do que outros que vinham de ricos empregos e vinham para ali construir brutas sedes, luxuosas agências e sem precisarem de prestar contas aos accionistas No entanto o Bava também não foi responsabilizado por nada. Espero que não se torne mais um oásis secreto como o BdP.

    ResponderEliminar
  3. depois de ler o que escrevo até tenho vergonha, mas o quadradinho não me deixa ver o tempo dos verbos já usados e outras afirmações, quando resolvo acrescentar qq coisa. O que interessa são as ideias...

    ResponderEliminar