sexta-feira, 17 de junho de 2016

E se uma criancinha lhe der um empurrão? Isso é Impulse?





Na Academia de Santa Cecília, colégio privado de  enorme reputação, não ensinam às crianças que não devem empurrar as pessoas quando querem passar e alguém lhes está a obstruir o caminho.
Lembrei-me disto, porque sou frequentemente abalroado por criancinhas daquela escola no supermercado em frente, onde se vão empanturrar de Coca Cola, batatas fritas e chocolates. Ainda hoje, estava a aviar-me de maçãs,  um rapazola  mais balofo que o Mercedes do papá deu-me um empurrão para que eu me mexesse e ele pudesse passar.
Chamei-lhe estúpido e ele respondeu "Cota de merda".
A Academia de Santa Cecília não tem contratos de associação com o Estado. Será por isso que não tem verbas para educar as criancinhas?


Amanhã, às 14h30m  há uma manifestação em defesa da escola pública. Onde os professores não podem ensinar as criancinhas a  ser bem educadas, porque correm o risco de serem acusados de maus tratos.  A escola pública pode não cumprir o seu papel  nesta matéria mas, pelo menos, é mais barata!
É também por isso que amanhã não vou faltar à manifestação!

15 comentários:

  1. Uma das minhas irmãs é professora na Escola Pública. Não sabia da manifestação.Da 2ª ao 12º andei na escola pública e tive bons professores.

    ResponderEliminar
  2. E é triste saber dessas crianças sem educação...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Embora, é justo reconhecê-lo, os principais culpados sejam os pais e não a escola...

      Eliminar
  3. Uma tristeza! Estas criancinhas ricas e sem um pingo de educação. A minha filha mais velha é professora de matemática na EB-2 3 em Matosinhos. Não é por ser minha filha, mas é uma boa professora e os alunos respeitam-na. E Matosinhos é, como deve saber, uma terra difícil. Já agora, sou a Ju e tenho uma "barraquita" nova. Quando quiser aparecer tenho todo o gosto. Bejinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sei bem como Matosinhos é difícil, sim...
      Já deixei a minha marca na sua nova barraquita há um ou dois dias, Ju. Não viu?

      Eliminar
  4. Carlos, desta vez estamos do mesmo lado
    Alguma vez iria acontecer
    E não será a última, quer-me bem parecer

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E, se bem me lembro, também não é a primeira, Rogério!

      Eliminar
  5. No outro dia fiquei espantada, porque estava num pequeno super
    e vejo bandos de adolescentes a comprarem o que mencionou e também a comprar gim e água tónica e sei lá que mais. Fiquei espantada, mas a empregada na caixa explicou-me que era a hora de almoço da grande escola em frente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se tinham menos de 18 anos, a empregada não lhos devia ter vendido...

      Eliminar
    2. Carlos, Escrevi-lhe uma resposta longa mas desapareceu. Talvez porque fosse uma resposta triste e agora depois do testamento que escrevi, a seguir, já não tenho forças. Eu sei da lei, mas neste país as leis não são para cumprir por isso é que eu fico triste com o que vejo. O aviso está em todo o lado, mas não serve para nada. Aquela escola também já tem jovens bem crescidos porque é até ao 12º.

      Eliminar
  6. Chamou estúpido ao garoto do empurrão?! E como sabe que é a escola a culpada da falta de educação que o Carlos sendo adulto, também teve?

    A escola pública pode educar não pode é bater. Há educação sem porradas.

    A defesa da escola pública é a afirmação de um inalienável direito de cidadania: o direito à educação e à instrução. As pessoas que se batem por preços têm a lente desfocada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me que este seu comentário também está um bocadinho desfocado, mas talvez seja eu que não estou a entender bem, devido ao adiantado da hora...

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  7. Bea, esqueça a sua parte de professora e tente também conhecer os problemas de outras pessoas, sem vir para aqui ensinar o que compete às escolas. Eu sei que sou a maior besta que aparece aqui e que respondo sempre ao lado avesso da notícia, mas detesto hipocrisias e esta é a minha espécie de terapia pessoal. Talvez não saiba que o Carlos foi operado recentemente a um problema com grande gravidade e não esteja em condições de ser empurrado por crianças mal-educadas. A educação dá-se em casa e a instrução na escola, mas infelizmente o mundo está virado do avesso e eu estou mais do lado da peste grisalha do que das criancinhas que ainda têm muito tempo pela frente e com toda a revolução tecnológica ninguém sabe o dia de amanhã. Eu podia dizer-lhe isto por mail, porque sei que também teve problemas e o Carlos não precisa da minha humilde defesa, mas é o meu feitio. Levei muita lambada e não me fez mal nenhum. E como também já sou das velhas que resolvem dizer tudo o que lhes apetece, como no outro dia também uma participante disse aqui, esquecendo-se que os velhos, que não estão senis, têm muito saber acumulado, enquanto os jovens tão especializados, não sabem de nada nem têm a noção do conjunto complexo que é o ser humano e a porca da vida. Não leve a mal foi também um desabafo, nesta hora tardia em que não consigo dormir.

    ResponderEliminar
  8. Por lá andarei, para que a verdade seja reposta e seja desmascarada toda a manipulação que tem estado a ser feita pelos donos dos privados...

    ResponderEliminar