quarta-feira, 25 de maio de 2016

Tenham medo. Muito medo...





"Ainda não foi desta que um nazi conquistou o poder num país europeu, mas esteve quase a acontecer na Áustria. O candidato ecologista bateu ao sprint o xenófobo nazi, graças aos votos por correspondência. Foi uma vitória por uma unha negra.Os votos presenciais teriam garantido a vitória de um nazi. De susto em susto, até  ao dia em que se concretizará o regresso do fascismo à Europa, perante a passividade das lideranças europeias que apenas se preocupam com as ditaduras na América Latina, ou na Ásia. E mesmo assim, só se estiverem em risco interesses financeiros de uma truta europeia. Cada vez mais parece ser apenas uma questão de tempo até ao dia do pesadelo".

Escrevi este texto no FB na segunda feira mas, muito mais cedo do que esperava, surgem novos motivos de preocupação. Não me refiro ao alerta da imprensa alemã, de que os investidores estão a fugir da Europa, por causa da ascensão da extrema direita. Mais do que isso, preocupam-me estas coisas comezinhas:

9 comentários:

  1. ~~~
    Muito bem, o que escreveu no FB.

    Não me admiro que haja um assassinato político
    - estão na moda...

    Mas que é preocupante, lá isso é.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  2. Escapou por uma negra mas não quer dizer que o perigo não esteja lá. Foi lá que nasceu o maior assassino da História. (Não, não foi o Stalin). Cada vez mais a Europa se está a desagregar, se é que alguma vez esteve unida. Hoje ninguém fala do "Tratado de Lisboa" e do que ele estabeleceu, porque o de Roma foi feito quando havia gente bem intencionada e já ninguém sabe do que se trata.
    Acho que o Carlos ainda não falou deste assunto aqui, mas ele é a prova que cada vez estamos mais pequeninos e desunidos. À Alemanha só lhe interessa vender os seus produtos e os outros que se lixem. Apesar do seu excedente comercial é a ela que lhe interessa vender os seu carritos a não só. Achei interessante este artigo que dá para pensar:

    http://www.jn.pt/opiniao/domingos-de-andrade/interior/nada-sexy-nem-de-cliques-5162227.html

    ResponderEliminar
  3. Depois do se pode considerar um empate técnico (vitória por menos de um ponto percentual) aqui está um óptimo exemplo de democracia, de saber perder.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não deve ter lido o "link", quando chama a isto saber perder. Qual era a margem de erro para dizer haver um empate técnico? Em Democracia vence-se apenas por mais um voto.

      Eliminar
  4. Assusta um bocado que, num ápice, a Europa democrática se torne anti. Que do dia nublado se faça noite escura. E assusta mais por ser real possibilidade. No escuro da noite, tudo pode acontecer. Olha-se para a história e os sacrifícios de vidas humanas sempre aconteceram sobre os o olhar impávido do tempo. Nada obsta à repetição das atrocidades. Porque somos cada vez mais os mesmos.

    ResponderEliminar
  5. A geração actual não sabe ou não quer saber o que é o fascismo. Vivem num mundo virtual, entre redes e e jogos. Nem dá conta do que se vai passando à sua volta. Um dia, quando acordarem, dirão; Como é que isto aconteceu? Como é que não demos por nada?
    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Como já escrevi no blogue do Pedro:

    Norbert Hofer, o nacionalista do Partido da Liberdade (FPÖ), é um político bem-falante e charmoso, enquanto que os políticos da extrema direita alemã são uns atrasados mentais, daí não corrermos o risco da Áustria.

    É bom não esquecer que o Adolf era austríaco!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dê-lhes tempo, dê-lhes tempo... O FPÖ tem muito mais experiência política do que a AfD e congéneres. E, se Hitler era austríaco, as ideias que deram origem ao Nacional-Socialismo têm uma muito boa contribuição de pensadores alemães...

      Eliminar
  7. Eu acho ótimo que de cada vez que um político de Extrema-Direita tente mostrar uma face mais humana, respeitadora do Estado de Direito e até inclusiva, em face da derrota, haja sempre um conjunto dos seus habituais energúmenos 'compagnons de route' que vem lembrar às pessoas a face bruta e suja do fascismo. Assim, puro e duro, como bom caso de polícia que aquela porcaria toda (para não dizer outra coisa) é...

    ResponderEliminar