sexta-feira, 13 de maio de 2016

O segredo do cofre é um Jardim




Há muito se suspeitava que o Cofre da Previdência dos Funcionários do Estado tinha um segredo só conhecido por alguns.  Pelo menos desde 2012, quando Tomé Jardim iniciou as reuniões secretas, aumentou o número de funcionários, geriu o cofre de uma forma ruinosa  e os lucros  passaram a prejuízos.
Maria Luís Albuquerque foi informada de tudo, mas aos costumes disse nada.
Agora  ficou a saber-se que o juiz Carlos Alexandre recebeu 4 mil euros de empréstimo à revelia dos estatutos. Com carácter urgente e confidencial.
O Ministério Público confirma que está a investigar a gestão desta entidade de utilidade pública por
suspeitas de burla, participação económica em negócio e abuso de poder.
Vale a pena ver o que Sexta às 9 investigou e constatar o silêncio de Tomé Jardim e Carlos Alexandre.

5 comentários:

  1. Super facilidades para um que se diz ser super juiz.

    ResponderEliminar
  2. ~~~
    Então, o Carlos Alexandre! Que imundíce!

    Bom fim de semana, Carlos.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde caros

    Eu sei do que estou a falar!!!

    Sou o Jorge e sou o associado nº 6xxxx (se for absolutamente necessário identifico o nº) do Cofre de Previdência do Ministério das Finanças. Esperei mais de 20 anos para me ser atribuído um empréstimo para aquisição de casa própria (e quando aconteceu nem sequer veio directo do Cofre, mas através de um banco protocolizado). No entanto ao Juiz Carlos Alexandre ao fim de uns dias...... http://www.rtp.pt/play/p2283/e235623/sexta-as-9 ........ ah pois é verticalidade, verticalidade, ó verticalidade para que te quero eu !!

    Não há melhor que ser Super Juiz e ter amigalhaços que emprestam uma massas rápidamente!

    Bjs & abçs

    ResponderEliminar
  4. Os funcionários públicos que se inscrevam para poderem desfrutar desta magnífica viagem: http://www.cofre.org/cofre/Primavera.Platform.Operational-EventDetail.aspx?C=1&EventID=%7b115f4202-0189-11e6-be80-545624edb60d%7d

    Só que eu posso vos dizer que fui durante dezenas de anos FP e nunca me inscrevi porque não tenho a força suficiente para gozar de alguma das suas regalias, nem de uma Residência sénior. O meu Ministério também tinha uns Serviços Sociais e na Direcção cheguei a ter amigos, colegas e conhecidos, mas nunca, nem de uma Termas beneficiei, porque nunca o pedi, porque achava que não devia gozar férias à custa dos outros. Tem piada que foi o Sócrates que acabou com eles, para criar uma igualdade que deixou de existir, porque agora quem manda é o Ministério das Finanças, mas há muita entidade que continua a fazer o que quer.

    ResponderEliminar
  5. Como o link que pus não idêntica a viagem aqui fica o programa criado para a mesma pela agência: http://www.cofre.org/cofre/userfiles/downloads/2016_TailandiaPrograma.pdf

    ResponderEliminar