sábado, 23 de abril de 2016

São rosas, senhor, são rosas!

Infelizmente, sempre houve - e ainda há-  ervas daninhas no roseiral do Rato. A liderança de Costa tem tido a virtude de desmascarar os Antónios Galambas, os Assis e uma parafernália de oportunistas que conspurcam a democracia, com a sua aversão à esquerda.

6 comentários:

  1. Que a nossa vontade de que dê certo não nos tolde o espírito. Em qualquer partido há facções e sobretudo nos democratas que permitem liberdade de opinião.
    Assis é um homem lúcido, concordemos ou não com ele. Foi ele que levou nas trombras quando teve a coragem de ir a Felgueiras ver o que se passava por causa da Fátima. António Galamba já é um pouco mais avacalhado, ou boi castrado. Seguro sempre foi um pavão que nada fez pela democracia, apenas tomava posições para dar nas vistas. Agora chamar merdas a Constâncio é demais. Constâncio sempre foi um Grande técnico e administrador, cobiçado por instâncias internacionais, para ganhar muito mais, mas que nunca aceitou, porque primeiro estava a estabilidade familiar. Agora viúvo e com os filhos criados já pode fazer o que quiser. Ele agora trabalha para uma Instituição supranacional, não tem que se meter em birrinhas da direita, que não nos conduzem a nada. Até o BdP não obedece às nossas leis laborais, nem os funcionários sofrem cortes, porque são um oásis no meio do deserto. porque viria ele prestar declarações, quando quem devia estar a ser julgada era a maria Luís e o coelho mixomatoso? E a comissão de inquérito não serve para nada. É só para os deputados ganharem mais uns tostões e ficarem com currículo. A mortágua ganhou fama. O nuno Melo ganhou a CE como se não lhe bastasse já a sua fortuna pessoal e a sua vaidade balofa, além dos cafés que serviu a José Oliveira e Costa. Fico-me por aqui. porque acho que está ficar impressionado com a impressa que critica e que vende notícias a conta gotas de acordo com o vontade do magnata seu dono.

    ResponderEliminar
  2. São os espinhos das rosas, isso sim!:)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Viver não custa , o que custa é saber viver ...diz o povo. Este "nhonhas" e outros que tais , vão-se governando com a sua " nhonhice "...Peço desculpa , mas este do cabelo pintado , cá em casa é conhecido pelo " nhonhas ". M.A.A.

    ResponderEliminar
  4. Citando Anfitrite o "Grande Técnico" agora responde a grandes isenções
    de outras constelações
    e é verdade
    o "nhonhas" pinta mesmo o cabelo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como nhonhas não faz parte do meu dicionário, não sei o que quer dizer. Na minha terra há o adjectivo panhonha(s), mas não é o caso dele. Apenas é uma pessoa calma e ponderada. Se é ele que pinta o cabelo deve ser porque alguma loira deve andar atrás dele, porque não é todos os dias que se encontra um partido assim. Apesar da inteligência não estar na cor dos cabelos, já que há gente que se importa com isso espero que ele os pinte todos. Ainda me lembro da polémica com os cabelos, ou a falta deles do Carlos do Carmo. Gente de mente aberta e interessada preocupa-se com isso.
      Conheci um que teve o mesmo cargo que ele e que ficou viúvo muito mais cedo, mas hoje está melhor na privada, e que uma brasileira se meteu em casa e lhe ia arruinado a vida. Até deixou de comer em casa com medo de ser envenenado.

      Eliminar
  5. Constâncio limitou-se a repetir o 'legalese' que é norma no BCE. O BCE e os seus funcionários nessa qualidade não respondem perante os Parlamentos Nacionais. Não vale a pena ficar chateado quanto a isso. Que Constâncio foi um mau SG do PS e um péssimo Governador do BP e que obteve como recompensa a sinecura do BCE é verdade (e é revelador do estado das instituições europeias), mas não conta nada para a questão presente...

    ResponderEliminar