terça-feira, 29 de março de 2016

Só uma palavrinha, sobre os negócios da morte

Só para dizer que o desastre que provocou a morte de 12 emigrantes tem todos os contornos de crime. Um crime que poderia ter sido evitado, porque  a forma como as pessoas são transportadas só escapa a quem não quer ver.
Quem  entra em Portugal pelas fronteiras de Quintanilha, Miranda do Douro ou Vilar Formoso, especialmente à sexta feira,  foi certamente confrontado com o espectáculo de carrinhas apinhadas de trabalhadores ziguezagueando  pela estrada em bailados a alta velocidade, As manobras perigosas multiplicam-se ( especialmente as ultrapassagens) os limites de velocidade não são respeitados, a lotação é largamente ultrapassada.
De vez em quando há um acidente, as pessoas lamentam, os familiares das vítimas choram, mas ninguém faz nada para acabar com esta roleta russa que é o negócio das viagens dos emigrantes transportados  ilegalmente.
 Era só isto que vos queria dizer antes de vos desejar boa noite.

3 comentários:

  1. Pelo que já li e ouvi a carrinha foi criminosamente alterada para elevar a lotação.
    a infracção rodoviária é pouco importante quando concorre com uma boa probabilidade de homicídio.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
  2. Estrada da morte, automóvel para seis passageiros que transporta doze, pressa de chegar, cansaço e condutor de 18 anos....estão reunidas condições para que as coisas corram mal.
    Tenho pena do único sobrevivente, que de sobrevivente tem muito pouco pois continuar vivo depois desta tragédia deve ser insuportável...
    Todos os envolvidos desgraçadamente foram vitímas da decisão que tomaram. RIP
    bjs

    ResponderEliminar
  3. parece que os responsáveis do 'negócio' foram presos pela justiça francesa. pergunto-me o que aconteceria se o acidente se tivesse dado em Portugal...

    ResponderEliminar