quinta-feira, 17 de março de 2016

A queda de um mito. Ou talvez não...



Mesmo entre os detractores de Passo Coelho, há quem garanta que apesar de todos os seus defeitos, o ex-PM é um homem honesto.
Nem as fugas aos impostos e à segurança social, nem as verbas do FSE aplicadas em cursos de formação para fantasmas voadores, nem a nebulosa relação com a TECNOFORMA os fazem mudar de ideias. Tampouco os impressiona a dúbia  declaração de "exclusividade"  de Passos enquanto era deputado e menos ainda a forma como protegeu Relvas ou tentou reabilitar Dias Loureiro.
A esses indefectíveis crentes que avalizam a honestidade de Passos como um dogma, aconselho que meditem nas palavras de Passos Coelho na Comissão Permanente do PSD, em defesa da sua  ex-professora , convidada pela Arrows para administradora não executiva:
Não há ilegalidade nem imoralidade. Está a ser atacada por saberem que se ela quiser é um activo político com futuro. Não satisfeito, Passos ( que terá aconselhado Maria Luís Albuquerque a aceitar o convite, quando ela lhe foi pedir uma opinião) garantiu que no lugar dela teria feito o mesmo. Ou seja: assim que alguém lhe faça um convite jeitoso, Passos não hesitará em aceitar.
Apesar de todas as evidências, admito que ainda haja por aí alguns indefectíveis que só mudariam de opinião se PPC, depois de aceitar um convite de uma empresa com implicações idênticas às de MLA, anunciasse que se voltaria a candidatar a PM  nas próximas legislativas. E mesmo assim, alguns talvez ainda encontrassem argumentos  para continuarem a defender a honestidade e integridade do homem de Massamá.
Um mito bem construído pela comunicação social, é sempre muito difícil de derrubar.

4 comentários:

  1. Sublinho a excelência do seu texto, Carlos.

    ResponderEliminar
  2. Quando li "A queda de um mito", pensei que se tratava de Luiz Inácio Lula da Silva.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Ematejoca não perde uma oportunidade de mostrar a sua recalcada admiração pela direita. Lula pode ser corrupto, admito, mas tirou milhões de brasileiros da miséria e acabou com os jagunços, tornando o Brasil um país mais habitável. Os saudosistas dos militares que violavam mulheres, protegiam e encobriam os corruptos é que andam nas ruas. Sabe porquê? Porque acham ter chegado a altura de serem eles novamente a tomar o comando da corrupção.

      Eliminar