sábado, 6 de fevereiro de 2016

O exemplo da segunda circular

Lembram-se da polémica que andou por aí, por causa das árvores na segunda circular? Dos terríveis desastres de avião provocados pelos pássaros?
A comunicação social fartou-se de dar corda aos do contra, mas nunca li nada sobre quem se manifestava a favor. Na segunda-feira esperava-se discussão acesa na Assembleia Municipal  convocada para discutir a segunda circular. Surpresa! Toda a gente esteve de acordo com o projecto - à excepção de Carlos Barbosa, presidente do ACP, por razões óbvias. As obras avançam em Junho.
Com o OE passou-se algo semelhante. Muito alarido, muita emoção mas, no final, o OE recebeu o agreement de  Bruxelas.

5 comentários:

  1. Em Portugal o trágico acaba por virar comédia... ou quase!

    ResponderEliminar
  2. Sou contra estas alterações e passo a explicar porquê:
    Se querem plantar árvores nada impede a câmara de Lisboa de o fazer, mas reduzir a largura das faixas, eliminar circulações, reduzir a velocidade e tentar empurrar os automóveis para a CRIL é um perfeito disparate.
    A Câmara de Municipal de Lisboa, também não sabe que colocar árvores perto do do aeroporto pode interferir com a boa circulação aérea? Por dois motivos:
    1.º Mais árvores significam mais pássaros perto do aeroporto, e estes só por si, podem ser um perigo para a circulação aérea, já que podem danificar os motores dos aviões.
    2.ª Se as árvores crescerem muito, podem interferir com as rotas de aterragem dos aviões no aeroporto da Portela.
    Neste momento a 2.ª circular é uma via que funciona mais ou menos bem. Porquê mudar o que está bem? Numa câmara que está tecnicamente falida, não seria mais sensato empregar o dinheiro dessas obras em coisas mais úteis? Como a reabilitação da maior parte do passeios de Lisboa, que estão num estado de degradação vergonhosa. Ou tapando os muitos buracos que existem nas ruas de Lisboa. Ou ainda melhorando o piso da 2.ª circular que se encontra muito degradado.
    Apesar de tudo ainda tenho esperança que este projecto louco, despesista e lunático seja posto na gaveta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Paulo desculpe-me, mas está bastante desactualizado... Na AM da última segunda feira ficou bem claro que essa história das árvores e dos pássaros é uma treta, porque nem umas nem outros vão existir como a comunicação social noticia. E se fosse, quantos aeroportos conheço rodeados de árvores!
      A segunda circular é um pandemónio e, como ficou claro na AM, só Carlos Barbosa é contra o projecto.
      A CML está a investir milhões na recuperação de vias, especialmente repavimentando e tapando buracos. O mesmo irá acontecer na segunda circular e é por isso mesmo que se pretende a sua requalificação. O túnel do Marquês também era um projecto de loucos. Lembra-se? Vá perguntar aos lisboetas o que é que eles hoje pensam do túnel.

      Eliminar
    2. OK! Quanto às árvores, já ouvi dizer que no troço da 2.ª circular junto ao aeroporto não serão plantadas e que vão arranjar 5 falcões para darem cabo dos infelizes pássaros que por lá apareçam. Não sei se serve, mas dou o benefício da dúvida.
      Quanto à 2.ª circular ser um pandemónio, sei do que falo, porque vivo à beira dela, não é um pandemónio maior ou menor que outras vias congestionadas que conheço, como o IC 19, a auto-estrada de Cascais, a auto-estrada do Sul perto de Almada etc. Agora uma coisa tenho a certeza. Fazer obras durante 11 meses seguidos, ainda por cima para tirar uma faixa de rodagem para os automóveis e reserva-la ao bus e reduzir a velocidade de 80 para 60Km/h. Acho que isso vai transformar a 2.ª circular num «mega-pandemónio», mas é só a minha opinião.
      Quanto à «A CML está a investir milhões na recuperação de vias, especialmente repavimentando e tapando buracos.» Para ser franco e como sou condutor e vivo em Lisboa, ainda não vi grande coisa.
      E não fui contra o túnel do Marquês, antes pelo contrário, fiquei até bastante indagnado quando o vereador Sá Fernandes interpôs uma providência cautelar para interromper o trabalhos da sua contrução.

      Eliminar