quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Mistérios colombianos

Radamel Falcão e Jackson Martinez são dois colombianos bem conhecidos dos portugueses. Pelo menos, daqueles que se interessam por futebol. Ambos vieram para Portugal jogar no FC do Porto, por valores relativamente baixos, ambos foram reis dos artilheiros em épocas consecutivas e ambos saíram do FC do Porto, para o Atlético de Madrid, por verbas a rondar os 40 milhões de euros.
Aqui chegados, acabaram-se as semelhanças entre os dois. Quando saiu do FC do Porto, Falcão teve palavras pouco simpáticas para os portistas, foi mesmo arrogante quando disse que "agora sim estou num grande clube europeu". Depois de época e meia de sucesso nos madrilenos, mas distante do que fizera de Dragão ao peito, Falcão transferiu-se para o Mónaco no início da época 2013/14. Chegou a prometer muito, mas uma lesão afastou-o dos relvados durante meses ( impedindo-o mesmo de estar presente no Mundial do Brasil) e acabou por ser cedido ao Manchester United onde quase não jogou.
Mourinho prometeu reabilitá-lo e acolheu-o no Chelsea, mas Falcão não correspondeu e começou a reagir com arrogância ao facto de ficar no banco. 
Em Janeiro deste ano o Mónaco recusou recebê-lo de volta, tendo Atlético de Madrid e Valência rejeitado igualmente a presença de Falcão nos seus balneários. Num ápice, Falcão passou de estrela cobiçada pelos gigantes europeus, a rejeitado por clubes medianos. O homem que disse que abandonava o FC do Porto para ter sucesso na Europa está agora a equacionar a hipótese de ir jogar para a China.
Jackson Martinez transferiu-se no final da época passada para o Atlético de Madrid por 35 milhões de euros. O colombiano mostrou-se sempre muito grato ao FC do Porto, por lhe ter dado a oportunidade de singrar na Europa mas, a verdade, é que não se adaptou aos madrilenos e foi vendido para a China por 42 milhões.
Talvez, na China, ambos voltem a encontrar o sucesso que lhes fugiu desde o dia em que abandonaram o Dragão. E, quiçá, venham a ter a companhia de outro maravilhoso jogador colombiano que encantou a Europa e o mundo enquanto jogava no FC do Porto, prolongou o sucesso no Mónaco e posteriormente no Real Madrid. Mas a chegada de Benitez e uma arreliadora lesão, lançaram o prodígio colombiano que os portistas deram a conhecer ao mundo ( e movimentou muitos milhões) para o banco dos suplentes.

3 comentários:

  1. Os arrogantes são como os balões, Carlos, basta uma picadela e eles vão parar à China.

    Uma resposta tardia ao seu comentário:

    Que divertimento andar com o Carlos, como alma penada, a atormentar alguns seres assustadiços.

    Mil beijinhos para um amigo muito querido, que não tem nada de tuga.

    ResponderEliminar
  2. Estrelas cobiçadas outras arrogantes, o resultante de tantos euros.

    Um beijinho Carlos

    ResponderEliminar
  3. A aposta da China é brutal, carlos.
    Sabe quem são os donos do Guangzhou Evergrand??
    Pois, dois multimilionários (um deles Jack Ma, da Alibaba) com bolsos MUITO fundos.
    Com um presidente (Xi Jinpnig) que gosta muito de futebol e quer a China a ultrapassar o Japão como potência asiática no futebol, muito mais negócios destes haverá no futuro.

    ResponderEliminar