sábado, 19 de dezembro de 2015

Não, senhor primeiro ministro...

Não me pareceu nada boa ideia a sua declaração em Bruxelas sobre a possibilidade de o governo fazer reverter a venda da TAP, contra a vontade dos donos. É que embora considere vergonhoso o comportamento dos larápios que venderam a TAP à má fila, quando já não tinham sequer o direito moral de o fazerem, estou em crer que recuperar a TAP, custe o que custar, vai ser bastante oneroso para os contribuintes portugueses.
Se estivesse no seu lugar, daria muita atenção a este artigo do insuspeito Nicolau Santos, antes de partir para uma guerra judicial que muito provavelmente terá consequências funestas para o bolso dos contribuintes e em nada contribuirá para aumentar a confiança dos investidores.

Às vezes, o melhor é mesmo disfarçar...

A propósito desta notícia macabra, lembrei-me- para desanuviar- de uma estória que o HenriquAmigo me enviou há dias:

Chegado à Alemanha, um refugiado sírio encontra uma fada que lhe oferece a realização de três desejos.

"OK", diz o sírio que escapou de ser degolado pelo Estado Islâmico. "Desejo uma bonita casa..."

Plufft..., no mesmo momento uma bela mansão aparece na frente do flagelado. "É sua", diz a loura fada.

"Pô, mó legal, e para preencher a garagem, quero um daqueles carrões que só tem na Alemanha...!"

Plufft..., e um encorpado BMW da série 8 aparece estacionado dentro da garagem.

"Por Allah..., e agora o meu terceiro desejo: quero que você me transforme num alemão...!"

Plufft..., a casa e o carrão desaparecem.

"Ei fada, pelas barbas do profeta... cadê minha casa e o meu carrão, hein, hein?"


"Você agora é alemão, precisa trabalhar".

Pronto, está bem, eu sei que com coisas sérias não se brinca, mas depois de ler a notícia que abre este post, o melhor é mesmo fingir que não percebi a  sua gravidade e brincar com a situação.