sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

O que é que o Montepio tem?

Eu sei que o Montepio é uma associação mutualista centenária muito prestigiada mas, mesmo assim, espantei-me quando soube que havia cinco listas concorrentes aos órgãos sociais daquela instituição.
Mas o meu espanto aumentou desmesuradamente quando soube que houve tentativas de falcatrua, manipulação de votos e outras irregularidades menores durante o acto eleitoral e que a PSP foi chamada a intervir.
Alguma coisa o Montepio deverá ter para suscitar tanta mobilização dos seus associados. Ou melhor... de alguns, porque só pouco mais de 10% se deram ao trabalho de ir votar.

Agora calem-se, porra!

Pronto, a direita lá esteve dois dias a fazer catarse.  Aplicando o método de Goebbels ( uma mentira muitas vezes repetida torna-se verdade) repetiu à exaustão que o XXI governo é ilegítimo mas, cúmulo do azar, não conseguiu provar a sua teoria, porque viu chumbada a moção de rejeição que apresentou, não conseguindo demonstrar como é possível que um governo ilegítimo consiga derrotar os partidos que juram ter ganho as eleições.
A direita ejaculou ódio, espremeu furúnculos de ressabiamento, vomitou perfídia e vingança. Foram dois dias bem à imagem dos seus líderes. Agora acabou o recreio, é altura de a direita tentar ser adulta e conformar-se com a realidade. Já chegaram quatro anos e meio de ilusões, que a derrota eleitoral desfez como castelos de areia. 
Que não há devolução da sobretaxa para ninguém, que o crescimento de que a direita falava, a ter existido, foi só nas contas bancárias dos seus titulares e que o desemprego só diminuiu nas hostes Pafianas, por força dos milhares de nomeações para cargos públicos feitas nas últimas semanas, já quase toda a gente sabia.
Novidade mesmo, só a constatação de que a direita se viciou em alucinogéneos enquanto esteve a gamar do pote e agora está de ressaca, não conseguindo viver com a realidade.
Chegou a altura de abandonarem o vício e fecharem a matraca, porra!