quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

O vómito!

Como é que um pulha  que ganhou as eleições em 2011, fazendo promessas que não cumpriu e  juras ( não cortar salários, nem subsídio de Natal, nem aumentar impostos, p.ex.) que quebrou, tem o topete, a falta de vergonha e o despudor de fazer ameaças deste jaez? 

Habituem-se!

A comunicação social tem dado grande destaque ao facto de os deputados do PCP e do BE nem sempre baterem palmas quando António Costa, ou algum dos seus ministros, tomam a palavra na AR.
Esse facto só é notícia, porque o país se habituou a olhar para os deputados como carneirada que vai para onde o patrão manda. Nos últimos quatro anos, os deputados ( especialmente do CDS) abdicaram da sua consciência, dos seus valores e da sua identidade, limitando-se a acenar com a cabeça às ordens de Passos Coelho. 
Muito diferente é o que se passa nesta aliança de esquerda. Cada partido mantém a sua identidade e os deputados votam e agem de acordo com o seu partido e não consoante os desejos do líder o partido mais votado. 
Uma coligação não significa que os partidos menos votados se anulem e submetam às ordens do partido com maior expressão eleitoral, como acontece sempre nas alianças à direita. 
É hora de nos habituarmos a uma nova realidade. Seria bom que os jornalistas percebessem isso e divulgassem aos seus leitores que o tempo a União Nacional já acabou.