segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Tudo dentro da (a)normalidade

O país está a viver um período conturbado. As pessoas agitam-se, aumenta a crispação entre  os partidos, os agentes económicos impacientam-se porque não há governo e os agentes sociais pedem uma solução rápida. Que faz o salazarzinho de subúrbio que habita em Belém? Pira-se para a Madeira, como se nada fosse com ele.
Até aqui, tudo normal. Em 2013, quando Catherine Deneuve Paulo Portas se demitiu irrevogavelmente provocando um prejuízo de milhões ao país, Cavaco também foi para a Madeira brincar com as cagarras. Desta vez vai seguir um Roteiro ( não sei se dá guito como as acções o BPN, mas é certamente muito lucrativo), quando o seu dever era ficar em Lisboa a evitar que a dupla Passos/Portas andasse a incendiar o país, com verbas do Estado.
Tudo isto é normal no comportamento do tosco de Boliqueime. A única anormalidade deste processo é as pessoas permanecerem serenas, em vez de irem para a porta de Belém exigir que esta contrafação de PR defenda, por uma vez, os interesses do país. Convenhamos, porém, que seria pedir demais a um parolo prepotente como Cavaco.