quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Cavaco II: uma questão de QI

Os candidatos a Belém foram quase unânimes: se já estivessem em funções dariam posse a um governo liderado por António Costa. Apenas Castanheira de Barros ( um obscuro militante o PSD) e Marcelo Rebelo de Sousa desafinaram. O primeiro foi peremptório ao dizer que nunca daria a posse a um governo como o que António Costa se propõe liderar. Já Marcelo Rebelo e Sousa recorreu a hipérboles e oráculos para, essencialmente, dizer que agiria como Cavaco.
 Os jornalistas não perceberam ou fizeram-se desentendidos, receosos de por em causa a eleição de MRS, mas não é preciso ser muito perspicaz para perceber que, chegado a Belém, o professor agirá como  Cavaco, isto é, não despirá a camisola de militante do PSD. 
As únicas diferenças é que MRS é mais honesto, mais hábil e tem um QI bastante mais elevado do que Cavaco.