terça-feira, 11 de agosto de 2015

Belém a Belém?



Foi com absoluta surpresa que li a notícia da pretensão de Maria de Belém se candidatar a PR e se tornar inquilina do palácio com o seu nome.
Antes que alguém me acuse de misoginia ( ou será misogenia?) devo esclarecer que teria o maior prazer em ver uma mulher em Belém.  Mas não a Maria do dito, nem Assunção Esteves que  há dias anunciei  aqui como putativa candidata ao palácio cor de rosa. 
Em relação a Assunção Esteves explicarei as minhas razões mais tarde. Quanto a Maria de Belém, tenho várias razões para nunca lhe  dar o meu voto, como o facto de ser a candidata do PS mais apreciada pela direita ( razão que explica a forma entusiástica como a sua putativa candidatura tem sido promovida pela comunicação social) mas deixo aqui apenas uma, muito objectiva e suficientemente esclarecedora:  quando foi presidente da comissão parlamentar de saúde, aceitou um convite para ser consultora da Espírito Santo Saúde. Para promiscuidade, já chega. Por isso, a minha resposta à pergunta Maria de Belém a Belém, é muito sixties e ecológica: Não, obrigado!