sexta-feira, 19 de junho de 2015

Anda comigo ver os aviões

Em menos de uma semana os autocarros da  Barraqueiro, nova proprietária da TAP, tiveram dois acidentes graves, de onde resultaram, até ao momento, seis mortos. Três deles eram turistas holandeses que acabavam de chegar a Portugal.
Não me parece que seja um bom cartão de visita para a TAP. Se os autocarros da Barraqueiro se estampam assim, quem vai querer andar nos aviões da empresa?
Agora um bocadinho mais a sério. 
Seria importante saber em que condições conduziam os motoristas dos autocarros. É que ainda recentemente uma reportagem, num canal de televisão, denunciava uma empresa de transporte cujos motoristas eram obrigados a conduzir 18 horas diárias em dias sucessivos.


O drama dos Espírito Santo

A situação na família Espírito Santo está a degradar-se. Principalmente desde que a PGR decidiu fazer um inventário aos bens da família ( vá lá deram 10 meses para que eles pusessem a salvo as coisas mais valiosas e só ficassem com o pechisbeque), os Espírito Santo vivem num sufoco.
Cada vez que tocam à campainha de uma das casas da família entra tudo em alvoroço. Como aconteceu ontem, quando um mendigo tocou à campainha da luxuosa mansão de Ricardo Salgado.
Uma voz sumida assomou ao intercomunicador e perguntou:
 - O QUE É?
 - ESMOLA SENHORA!
 - OBRIGADO! PONHA DEBAIXO DA PORTA, FAZ FAVOR...

Quando é que António Costa vai perceber?

António Costa tem de dar corda aos sapatos se quer mobilizar o país

É certo que a mensagem não tem passado, algumas das propostas denotam falta de consistência, o programa do PS (apesar de muito diferente do da coligação) não é mobilizador e que António Costa tem tido o azar de, sempre que apresenta uma proposta mais ousada, surgir alguma coisa relacionada com Sócrates que ofusca a sua mensagem. 
No entanto, António Costa também tem denotado falta de garra e combatividade, dando a entender, por vezes, que anda a fazer um frete.
A atitude do lider do PS em relação a Sócrates também não é a mais correcta. Refugiar-se na lenga lenga “à justiça o que é da justiça”  é uma estratégia defensiva que denota fraqueza e  não rende votos.
Os portugueses  sabem muito bem que o problema não é Sócrates ser culpado ou inocente. É saberem que um dia lhes pode acontecer o que está a acontecer a Sócrates e ficarem presos durante um ano sem culpa formada, só porque  um juiz embirrou com ele, ou se quis vingar de alguma coisa.
Se António Costa não percebeu que  o que está em causa não é a culpa de Sócrates, mas a ilegalidade da sua prisão, então não serve para primeiro ministro. Os portugueses percebem bem a estratégia de Costa e não lhe perdoam, porque estão fartos de pessoas que não se assumem e não gostam de cobardes. É isso que estão a dizer nas sondagens.




É justo reconhecer

 Que a condecoração de Carlos Gil, o costureiro de Maria Cavaco Silva, no 10 de Junho, foi merecidíssima...






Gosto especialmente das fotos  3 e 5. E vocês?