quinta-feira, 4 de junho de 2015

Bruno de Carvalho no próximo governo da AD?

Depois de Marco Silva ter feito a melhor época do Sporting dos últimos 15 anos, o despedimento com justa causa indicia que Bruno de Carvalho está talhado para ministro. 
O que eu me vou rir se em Agosto o Sporting perder a Supertaça para o Benfica e não conseguir apurar-se para a Liga dos Campeões!

Crise? Qual crise?

Não sei se repararam mas, ontem à noite, a coligação apresentou o seu pré programa eleitoral e poucas horas depois o PS apresentou o programa que vai ser escrutinado no próximo sábado.
Hoje reacendeu-se a guerra na Ucrânia, a Grécia pode estar de saída do euro a qualquer momento, a Europa pode implodir, Israel bombardeou a Faixa de Gaza, a troika está em Portugal, a nacionalidade portuguesa compra-se por 7 mil euros no mercado negro, o ministério da economia contratou uma empresa que o Estado pôs em Tribunal, a ASAE é impedida de fiscalizar alguns agentes económicos, - por decisão política - e a TAP está prestes a mudar de mãos, porque o governo zomba dos tribunais invocando interesse público para anular os efeitos de uma providência cautelar que tem como objectivo proteger o interesse público
Nada disto parece ter grande importância. As manchetes dos jornais e a abertura dos telejornais é a saída de Jesus do Benfica, a retirada da sua imagem da fotografia dos bicampeões ( à boa maneira estalinista), o despedimento com justa causa de Marco Silva e o nome do futuro treinador do Benfica.
Não tarda nada,  um dirigente desportivo será eleito primeiro ministro e um treinador de futebol irá para Belém.

O Milagre das rosas em versão Nova AD

Já sabíamos que este é o governo dos milagres. Em véspera de eleições os números do desemprego são preocupantes? Nada que um milagre não resolva. Em primeiro lugar manda-se o IEFP apagar do número de desempregados aqueles que não estão a receber prestações sociais. Por encanto, desaparecem uns milhares.
Depois, pega-se em 46 mil desempregados, enfia-se com eles ilegalmente na administração pública, paga-se-lhes uma bolsa durante 12 meses e já está.
Agora é só por o Paulinho das Feiras e o Mota da Vespa a dizer umas coisas sobre a redução do desemprego e a malta nas redacções dos jornais do regime serve de câmara de eco. Para dar notícia? Não, para seguir a doutrina de Goebbels, repetindo incessantemente uma mentira até que se torne verdade.