quarta-feira, 29 de abril de 2015

A democracia e a pirâmide invertida (1)

Hoje foi dia de plebiscito nos partidos da coligação.
Os líderes do PSD e CDS  reuniram os capangas os seus estados maiores para aprovarem o acordo de coligação que os  patrões tinham assinado no sábado.
Umas dezenas de burros invertebrados abanaram as orelhas, bateram palmas e ratificaram o que os líderes lhes impuseram. Sem um protesto, uma indignação, ou um pingo de vergonha no focinho.
Como é prática comum nas mafias, grupos terroristas, gangs criminosos e, claro, em partidos como o PSD e o CDS.


Ainda bem que vão privatizar toda a rede de transportes

A TVI fez uma reportagem sobre o grupo Barraqueiro, que detém a Rede Nacional de Expressos e a Rodoviária.
Desde motoristas a conduzirem durante mais de 20 horas ininterruptas durante dias seguidos ( quem recusar é ameaçado de despedimento) a fraudes com o sistema de fiscalização e controlo, o grupo Barraqueiro  pratica um manancial de irregularidades que colocam em risca a vida das pessoas.
Numa altura em que o governo se prepara para vender e/ou concessionar todos os transportes, vale a pena ver a reportagem para saber o que nos espera.
As autoridades parecem indiferentes e, confrontadas com as reportagens, as empresas não mudaram o seu comportamento.
Mas nem tudo estará perdido. No dia em que  haja mortos provocados pelo comportamento dos psicopatas que gerem estas empresas, já sabemos os nomes dos criminosos.

O Professor Chanfrado




Duarte Marques é aquele deputado do PSD , ex lider da jotinha laranja, que um dia disse que o combate ao desemprego era uma questão de fé. 
Esse velho de 33 anos tem, aliás, dado sobejas provas de que o seu cérebro cabe dentro de uma ervilha, fazendo declarações que só não envergonham o grupo parlamentar do PSD, nem os membros do governo, porque aquilo é gente sem vergonha na tromba.
Durante muito tempo, pensei que as ideias de Duarte Marques fossem dele mas hoje, graças ao Francisco Louçã, fiquei a conhecer  a musa que o inspira.
É um gajo de nome  Pedro Cosme Vieira, PROFESSOR da Faculdade de Economia do Porto, que tem tiradas como esta:
Não estivesse eu ainda sob os efeitos benfazejos do Dia Mundial do Sorriso e mandava o professor pentear macacos na selva onde vive. Assim, limito-me a avisar os leitores para se desviarem deste anormal

quando se cruzarem com ele na rua. É que além de tratar a mãe como caquéctica (sic), o dito cujo professor de economia ainda tem esta tirada sobre os imigrantes que atravessam o Mediterrâneo:


O Professor universitário - que dá mais erros que um aluno do primeiro ano de escolaridade- também apresenta uma proposta para acabar com a SIDA:


Quem merecia um tiro nos cornos era o Professor mas, como ontem foi  Dia Mundial do Sorriso, limito-me a sugerir-lhe que vá dar um passeio até às Caldas da Rainha - pode também levar o Duarte Marques - onde encontrará certamente cerâmica do seu agrado que o ajudará a abrir a boca num sorriso. 



Teodora, não vás ao sonoro...



Teodora Cardoso, presidente do Conselho de Finanças Públicas, manifestou a disponibilidade da instituição para avaliar as propostas económicas dos partidos candidatos às legislativas.
Pessoalmente, acho a proposta de Teodora Cardoso pouco ambiciosa. No lugar dela, propunha que as propostas fossem submetidas a exame prévio do Conselho de Finanças Públicas e os partidos cujas propostas  fossem chumbadas seriam impedidos de concorrer às eleições.
Ou, então, uma proposta ainda mais radical. Os membros do Conselho dariam notas a cada uma das propostas e o partido com nota mais elevada seria de imediato convidado a formar governo, evitando-se assim a chatice das eleições e as despesas inerentes.