sábado, 18 de abril de 2015

Não culpem os jovens, por favor!

Já aqui escrevi sobre o espectáculo degradante que é ver nas noites de fim de semana jovens, muitas vezes ainda imberbes, completamente embriagados. 
Devo dizer, porém, que não é contra eles que me indigno, mas sim contra os desgraçados pais que têm.
Como me indigno contra um governo que, em vez de apostar na educação e na informação, opta pela via mais fácil do proibicionismo.

O exterminador implacável e os enjeitados

Esta semana  Passos Coelho resolveu armar-se em exterminador implacável e, de uma assentada, enjeitou os seus  principais aliados.
A Portas, disse que  preferia governar  sem ele.
A Cavaco, disse que tirasse da cabeça a ideia maluca do Bloco Central.
O enjeitado Portas reagiu da forma habitual. Baixou as calças e perguntou: que queres que eu faça? Que aprove a TSU? Que me borrife para os cortes nas pensões? Que deixe de ir com a minha mãe ao cinema? Pronto,está bem, eu esqueço as linhas vermelhas e digo à rapaziada para não levantar ondas.
A reacção do enjeitado  Cavaco  só será conhecida no 25 de Abril. O mais provável é que se faça desentendido e, à falta de outro discurso, volte a falar da necessidade de consensos.

O que faz falta...

A sondagem ontem divulgada  pelo Expresso veio demonstrar aquilo que aqui escrevi quando começou a luta interna no PS. 
Embora Seguro fosse um líder  incapaz de motivar os eleitores, o problema do PS não é só de nomes.

A isto se chama um argumento do c@r£#%