segunda-feira, 9 de março de 2015

Festival da Canção

Nos anos 60 não perdia um Festival da Canção. Era um momento alto no panorama televisivo e musical do país.
Nos primeiros anos em família, depois com amigos, a noite do Festival era sempre programada com antecedência. Lembro-me de alguns anos em que organizávamos votações, cujos resultados não coincidiam com as escolhas dos juris. 
Recordo ainda muitas das canções vencedoras e perdedoras dos anos 60 e 70, mas antes do 25 de Abril dois momentos guardo na memória: a Desfolhada de Simone e a Tourada de Fernando Tordo. Sem esquecer, obviamente, a canção de Paulo de Carvalho, que serviu de senha ao 25 de Abril.
Este ano, pensei assistir ao Festival. Tinha especial curiosidade em ver os desempenhos de Adelaide ferreira e Simone de Oliveira. Esqueci-me das eliminatórias e no dia da final tinha melhor programa do que ficar diante de um ecrã de televisão.
Ontem à noite, enquanto navegava na Internet, ouvi acidentalmente a canção vencedora e dei por mim a pensar: se esta era a melhor, como não seriam as outras? 
Hoje, soube que a miúda que ganhou tem grandes expectativas de vir a ganhar o Festival da Eurovisão. Eu sei que tudo é possível, mas uma carinha laroca não chega. É preciso ter voz e uma música que entre no ouvido. Não vi nenhuma dessas características na intérprete, nem na canção. Talvez me engane, mas desconfio que nem à final vamos. A não ser que o senhor Schaueble- para recompensar o beija mão da Marilú- meta uma cunha...

Azar dele (s)! (Em actualização)




Há sempre alguém disposto a aproveitar-se das intervenções ridículas de Cavaco, para mostrar que consegue ser ainda mais ridículo.
É o caso, por exemplo, de Santana Lopes que diz encaixar-se no perfil traçado por Cavaco para o seu sucessor.
Se Portugal fosse uma Monarquia compreendia que Santana Lopes - apesar de ter sido considerado por Cavaco má moeda- estivesse muito orgulhoso e se sentisse candidato à sucessão.
 Só que serão os eleitores a decidir quem será o próximo PR e Santana Lopes devia saber que, neste momento, qualquer candidato apoiado por Cavaco Silva está derrotado à partida.
Pela boca morre o peixe e, ter-se auto incluído na lista de presidenciáveis de Cavaco, foi um tiro no pé que os outros potenciais candidatos agradecem. 
Se há coisa que  qualquer candidato a Belém deseje é não ter o seu nome associado ao actual inquilino, pois isso significa derrota certa. 
Com o aproveitamento ridículo de um prefácio, Santana Lopes terá eliminado quaisquer hipóteses de chegar a Belém.
Em tempo: Por esta é que eu não esperava. Marcelo também quer ficar na fotografia de perfil

Ainda há quem se surpreenda?



Cavaco saiu em defesa de Passos Coelho, dizendo que  as críticas dos partidos da oposição às dívidas do pm ao  fisco e à segurança social são  uma questão política. O país indignou-se.
Mas qual é a surpresa? Há coisas que não se devem esquecer, para não nos espantarmos:
- Cavaco também tem uma má relação com o Fisco, como ficou demonstrado aquando da compra da casa da Coelha;
- Convidou ladrões e criminosos para membros do seu governo;
- Nomeou Dias Loureiro conselheiro de Estado;
- Mandou  Fernando Lima combinar com José Manuel Fernandes, então director do Público, a história das espias;
- Concedeu pensões a ex- PIDES enquanto a negou à viúva de Salgueiro Maia...
Por hoje não ponho mais na cartilha.
Apenas pergunto como é que alguém em Portugal se pode surpreender que uma pessoa com o estofo moral de Cavaco defenda  um relapso?
E, já agora, também não se surpreendam com o facto de Cavaco ter traçado o perfil do seu sucessor no prefácio dos Roteiros 2015.  Ele ainda não percebeu que os portugueses - incluindo a maioria dos simpatizantes e militantes do seu PSD- não liga peva ao que ele diz e, pior ainda, escarnece das barbaridades que vai debitando no penoso final de mandato.
A única surpresa, neste país, é Cavaco ainda exercer o cargo de PR, quando é notório que não tem condições para o desempenhar.
Bem, na verdade  também me surpreende que Cavaco ainda tenha cheiro porque, normalmente, as pessoas que vivem envoltas na porcaria perdem acuidade olfactiva.

Bem prega frei Tomás...

Será a  Igreja uma instituição estéril?
"Mundo que marginaliza mulheres é estéril" - afirmou o Papa Francisco durante a homilia do Dia da Mulher