sábado, 28 de fevereiro de 2015

Falta de seriedade e de memória.


O Público confrontou  Passos Coelho com uma dívida à Segurança Social e o PM correu a pagá-la, mas só parcialmente. Durante os cinco anos em que fugiu às suas obrigações contraiu uma dívida com o Estado superior a 7 mil euros e só pagou cerca de 3 mil.
A justificação de Passos Coelho é bizarra: como nunca ninguém lhe pediu para pagar, não pagou. E até já se tinha esquecido- declarou.
É o chico espertismo tuga no seu esplendor. Qualquer caloteiro e vigarista pode chegar a PM e, graças a  isso, até ganhar votos.
O problema de Passos não é so falta de seriedade. É também falta de memória. Não só ficou à espera que a SS lhe pedisse o pagamento das dívidas, para ver se passava ( e passou..) como também se esqueceu de ter recebido dinheiro da Tecnoforma.
Durante a próxima campanha eleitoral, Passos ainda é bem capaz de dizer que se não cumpriu as promessas eleitorais que fez em 2011, não foi por falta de palavra. Foi por se ter esquecido das promessas que então fez.
O problema é que isto pega-se, como revelam as sondagens. Quase 4 em cada 10 portugueses já se esqueceram dos sacrifícios que nos foram impostos nos últimos quatro anos e estão dispostos a reeleger a actual maioria.

Já era assim na Idade Média