sábado, 21 de fevereiro de 2015

Sombras de G(r)ay ( versão alentejana)



Há já alguns anos que quatro amigos alentejanos aproveitam a época de carnaval para  ir pescar. Durante três dias  montam um acampamento junto a uma albufeira e assim assinalam a data.
Apesar de três deles serem funcionários públicos,  trabalham em câmaras cujos presidentes têm um bocadinho mais de visão do que o pm pelo que, indiferentes às patacoadas coelheiras, dão tolerância de ponto na terça feira de Carnaval.
Este ano, a mulher do João bateu o pé e disse que ele não ia. Profundamente desapontado, telefonou aos companheiros e disse-lhes que, desta vez, não podia ir porque a mulher não deixava.
Dois dias depois, os outros chegaram ao local do acampamento e, muito surpreendidos, encontraram lá o João à espera deles e com a sua tenda já armada.
- Atão, João, como é que conseguiste convencer a tua patroa a deixar-te vir?
-  Foi um gay que me salvou. 
- Um gay, João? Atão tu dás-te com essa gente?
Eu, não. É a minha mulher. Ontem foi  ver o filme "As Cinquenta Sombras do Gay" e à noite arrastou-me para o quarto. Na cama, havia algemas e cordas!
Mandou-me algemá-la e amarrá-la à cama e depois disse: Agora, faz tudo o que quiseres...
E eu assim fiz: VIM PESCARI !

AVISO IMPORTANTE: Se não gostou da brincadeira, então sugiro-lhe que veja aqui imagens inéditas do filme, que não passarão nas salas de cinema

O problema é o senhorio!

O Instituto Português de Administração e Marketing (Aveiro) em colaboração com a Universidade Rey Juan  Carlos (Madrid) vai realizar um estudo para avaliar a satisfação das pessoas com as cidades onde vivem.
Como nunca me interrogam sobre estas coisas ( normalmente só sou chateado pela DECO e por empresas de marketing directo) deixo aqui a minha opinião.
Neste edifício Portugal, sinto-me bem na maioria dos apartamentos (as cidades portuguesas). O meu grande problema - para além do excessivo silêncio dos inquilinos- é mesmo o senhorio e os gestores do condomínio. São do piorio! Despediram a porteira, cortaram a luz, o gás e a água, o elevador só funciona durante as horas de ponta e apenas nos dias úteis. Dizem eles que fizeram os cortes, porque estamos todos a viver em apartamentos de luxo e pagamos rendas de águas furtadas.
Mesmo admitindo que tenham  razão, nada justifica que se abotoem com as rendas dos condóminos e as entreguem a uma D. Branca alemã, em vez de investir em obras para evitar a degradação do edifício.