segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Serviço Nacional de Saúde

O SNS esta cada vez melhor! Mandaram- me estar no Curry Cabral hoje  as 9 da manha para ser internado e operado amanha. Terminada a consulta de anestesia cerca das 10, disseram-me para aguardar que uma enfermeira me viesse buscar para procder as formalidades de internamento.
As 15 horas consegui, finalmente, que alguém melevasse para uma enfermaria,onde uma enfermeira me fez as mesmas perguntas que me tinham feito na consulta de anestesia. Depois de estar instalado pedi uma almofada. Ao fim de muitas insistências, lá me disseram que nao havia almofadas. Enfureci, obviamente. Uma diligente enfermeira , passados alguns minutos, chegou triunfal com uma almofada...roubada a outro doente. 

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

O chefe da seita

Será que Cavaco também recebe do PSD uns vouchers refeição iguais aos que o Benfica oferece aos árbitros?
Se o inquilino de Belém mantiver a sua recusa em empossar um governo de esquerda,confirma-se que os cadáveres também são corruptos e que ha árbitros que bem merecem o epíteto de FdP.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

A esquerda do croquete

De copo na mão em "vernissages" de fim de tarde, de caneta em riste nos espaços que a comunicação social generosamente lhes disponibiliza, ou de língua afiada em programas de televisão, eles ( e elas) declaram o seu amor à esquerda, o desprezo pelo actual governo que tantas malfeitorias lhes fez e desancam na esquerda que se recusa a fazer acordos com o PS.
Andam nisto há décadas, respaldados na certeza de que o BE e o PCP nunca viabilizarão um governo minoritário do PS.
Eis senão quando PCP e BE dão sinais de que podem chegar a acordo com o PS para um governo que expulse esta corja de reacionários e estes lídimos representantes da esquerda do croquete e do pastel de nata entram em pânico.
" Mas como é possível que o PCP e o BE tenham mudado tanto, ao ponto de apoiarem um governo do PS? Alguém acredita nisso? O Costa é um totó. Um governo de esquerda não duraria nem um ano e seria o fim do PS e do país"- proclamam agora.  
Presumo que alguns tremam só de pensar que podem perder alguns privilégios que esta postura de se proclamarem de esquerda, mas desfrutarem dos favores da direita, lhes concede. Se a esquerda caviar é inconsequente, a esquerda do croquete é incoerente e até repugnante. 
Eu também não acredito que haja um governo do PS com o apoio do BE e, principalmente, do PCP mas, ao contrário dos esquerdistas do croquete, lamento que ele não se possa concretizar. Seria, seguramente, um exemplo para a Europa e uma boa notícia para os portugueses. Um governo PS/PCP/BE não será, talvez, ainda possível, mas creio que os dois últimos se vão arrepender a breve prazo. Para grande alívio dos esquerdistas do croquete e de alguns socialistas para quem ser de esquerda se resume a fazer acordos com o PSD e o CDS e o arco da governação é uma inevitabilidade histórica.
Lamento que dentro do PS haja gente com responsabilidade que prefira viabilizar um novo governo da coligação e esteja a condenar  António Costa cuja postura tem sido de grande inteligência e maturidade política, demarcando claramente  o PS da direita. 
Se alguns socialistas preferem  o caminho do suicídio, remetendo o PS para a condição de partido minúsculo, sem qualquer expressão no panorama político tuga, deviam dizê-lo claramente e não ter medo de viabilizar na AR um programa apresentado pelo PAF.
 Depois, podiam fazer o favor de se inscreverem no PSD, ou formar um partido que lhe sirva de muleta mas, por favor, deixem de enganar os portugueses e não conspurquem o PS. O vosso lugar não é lá, porque o que vocês gostam mesmo é do Centrão dos interesses, onde se trocam os favores que vos permitem continuar à tona na cena política portuguesa.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

O erro de Lenine

Lenine disse um dia: "os capitalistas hão-de vender-nos a corda com que os havemos de enforcar".
Enganou-se. Os tugas é que deram aos capitalistas a corda com que eles os hão-de enforcar.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

The Day After

Venho aqui com algum sacrifício, mas não podia deixar de vos dizer que ao contrário de muitos, não estou nada preocupado com o dia 5 de Outubro.
 Seja qual for o resultado ( mesmo uma maioria absoluta do Paf) não me arrependerei do meu voto, pois não o vou desperdiçar em partidos minúsculos que apenas servem para dar deputados à coligação e animar o ego de alguns dos seus fundadores.
Gostaria de votar com o coração mas, como o meu objetivo é ver esta corja na rua, votarei com a razão. 
Se o Paf vencer e formar governo, é porque as pessoas assim o quiseram e, por isso, aceitarei democraticamente os resultados. Se aqueles que viram os filhos emigrar, ou têm familiares no desemprego querem que este governo os martirize durante mais quatro anos; se os que viram as suas pensões e salários cortados consideram que este governo é o que melhor defende os seus interesses, ou se muitos acreditam que Passos e Portas não  os vão voltar a enganar, que se há-de dizer senão " é muito bem feito que quem confia em aldrabões e trafulhas seja vítima dos seus ardis?".
Não estou por isso nada preocupado com o dia 5 de Outubro e até sinto alguma alegria por saber que este ano nas comemorações do Dia da República não vai haver palhaço. Embora já não seja feriado, a data deve ser assinalada com dignidade e sem números circences.