domingo, 2 de agosto de 2015

Uma questão de (mau) gosto


Quem foi o iluminado que pensou que cartazes destes captam eleitores?
(Via aspirina B)

14 comentários:

  1. Estou em crer que isto não faz parte da campanha.
    Já vi um cartaz onde a figura de José Sócrates estava a ser rasgada.
    Brincadeiras?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afinal os cartazes eram mesmo do PS, que já os mandou retirar. E eram da autoria do Edson Athaíde. Eu tinha razão quando me lembrei da IURD. Imagine-se os votos que o PS não perdeu renegando a Fé e a Confiança.

      Eliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Será que a Divina Providência nos salvará? O certo é que a IURD tem ganhado milhões de adeptos.

    ResponderEliminar
  4. Apesar de ter andado afastado das notícias, já estou a par da polémica do cartaz.
    Silly season??
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
  5. Nunca vi um cartaz destes, mas a tua foto fez-me lembrar uns "santinhos" que eram distribuídos no colégio onde andei há 55 anos, para nós "usarmos" dentro do missal...
    enfim, gostos!!!!!!!

    ResponderEliminar
  6. Parece que foi do "Edson Ataíde"!!!!

    ResponderEliminar
  7. "Olhem a recente campanha eleitoral no Reino Unido para perceber que as mensagens políticas em imagem vão criando novas formas de reação. Atrás de um processo de maior irritação/aceitação há depois processos de maior aproximação. Também são formas de chegar mais rápido às pessoas"

    Sabe-se lá, se o Ascenso Simões não tem razão?!

    ResponderEliminar
  8. Até hoje ninguém se esqueceu do anúncio das tintas Barbot, ou da pasta medicinal Couto.

    ResponderEliminar
  9. Nem sempre os melhores anúncios são aqueles que ficam na memória... ;)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  10. Quase tudo depende das lojas e dos aventais

    ResponderEliminar
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  12. Penso que se trata de um cartaz perfeitamente banal, que não tem conteúdo nenhum, é vago e acima de tudo não mobiliza. Para quem quer conquistar o poder, diria que é um cartaz muito fraco.

    ResponderEliminar