terça-feira, 11 de agosto de 2015

Belém a Belém?



Foi com absoluta surpresa que li a notícia da pretensão de Maria de Belém se candidatar a PR e se tornar inquilina do palácio com o seu nome.
Antes que alguém me acuse de misoginia ( ou será misogenia?) devo esclarecer que teria o maior prazer em ver uma mulher em Belém.  Mas não a Maria do dito, nem Assunção Esteves que  há dias anunciei  aqui como putativa candidata ao palácio cor de rosa. 
Em relação a Assunção Esteves explicarei as minhas razões mais tarde. Quanto a Maria de Belém, tenho várias razões para nunca lhe  dar o meu voto, como o facto de ser a candidata do PS mais apreciada pela direita ( razão que explica a forma entusiástica como a sua putativa candidatura tem sido promovida pela comunicação social) mas deixo aqui apenas uma, muito objectiva e suficientemente esclarecedora:  quando foi presidente da comissão parlamentar de saúde, aceitou um convite para ser consultora da Espírito Santo Saúde. Para promiscuidade, já chega. Por isso, a minha resposta à pergunta Maria de Belém a Belém, é muito sixties e ecológica: Não, obrigado!

12 comentários:

  1. Olhe.Carlos, ainda não conhecendo todo o "elenco" de candidatos a Belém, dificilmente me posso pronunciar em quem vou votar. Mas duvido muito, mesmo muito, que seja nesta choninhas... ;)

    Beijocas

    ps - desculpe não ser tão objetiva como o Carlos, mas é o que se me oferece dizer de momento... :)

    ResponderEliminar
  2. nota-se o empenho do observador, do I e do inevitável expresso. o mais engraçado é ver o diário de notícias filado às canelas de sampaio da nóvoa. Mal ele dá uma entrevista ou aparece algures, lá vem o artigo online - no mesmo dia - maria de belém, socialistas, cada vez mais afastados e mais qualquer coisa.

    parafraseando o defunto e muito esquerdista franco nogueira, quando os nossos inimigos começam a dar-nos muitos elogios é de ficar desconfiado.

    gostei também da lista das cem personalidades: só lá faltavam o bobi, o piruças e o tareco - antigamente eram intelectuais mas isso hoje até dá mau nome.

    ResponderEliminar
  3. A Belenzinha para Belém?
    Safa!
    Conheço a sua maneira de trabalhar.
    Nomeou-me para um cargo, em que perdi dinheiro todos os meses, e tirou-me o tapete logo a seguir, tal era o medo que ela tinha da paulette das feiras.
    Sofri na pele a sua hipocrisia e o seu cinismo.
    Podia ter tido a vida desgraçada se não tivesse uma profissão liberal e não tivesse saído da função públia.
    Refiro-me ao período em que foi a ministra da saúde.

    outeiro

    ResponderEliminar
  4. Não, obrigado, também digo eu.A mim, nunca me faz mal, mas não lhe reconheço capacidade para o lugar, Para desgraça já basta o que ainda lá paira.

    ResponderEliminar
  5. Não, obrigado, também digo eu.A mim, nunca me faz mal, mas não lhe reconheço capacidade para o lugar, Para desgraça já basta o que ainda lá paira.

    ResponderEliminar
  6. Gostaria muito de ver uma Mulher na Presidência da República, mas nenhuma destas putativas que fala. Uma porque é louca e oportunista e a outra porque é uma beata falsa. Para mim havia uma ideal que seria a Doutora Elisa Ferreira. Até sabe de mais para o cargo e seria mal empregada, mas como mulher não me lembro de nenhuma melhor, agora. Ainda no outro dia ouvi ela dizer com a sua classe, que nós somo um país que parecemos que estamos a subir uma escada que desce.

    ResponderEliminar
  7. E com esta candidatura já partiu o PS ao meio.
    É com cada tiro no pé!!

    ResponderEliminar
  8. A candidatura de Maria de Belém veio fazer a vontade à ala segurista do PS. Dividir para reinar. O mais grave é que com estas divisões, a esquerda fica ainda mais enfraquecida.
    Marcelo Rebelo de Sousa deve sentir-se cada vez mais aliviado.

    ResponderEliminar
  9. Percebo a relevância histórica e política da possibilidade de ter uma mulher presidente da República. Mas jamais apoiaria politicamente uma mulher apenas pelo facto de o ser, ou ver-me-ia obrigada a ter "orgulho" em Angela Merkel, Christine Lagarde ou Margaret Tatcher pela seu relevo na política mundial. Estes são, aliás, exemplos que o que está em causa não é o género de quem se candidata e assume cargos mas sim que ideias e visões da sociedade têm (e consequentes posições políticas, económicas, culturais, etc). Por isso, pela grave promiscuidade recordada neste post pelo Carlos, pelo taticismo partidário "revanchista" subjacente à candidatura, Maria de Belém não!
    Sampaio da Nóvoa, pela visão sensata e pelas ideias claras que tem para o país e para o papel de PR (basta ler a sua Carta de Princípios), tem o meu voto garantido!
    Cumprimentos,
    Alexandra

    ResponderEliminar
  10. Pois a razão de não votar em Belém é essa mesma : não ter tido ética!

    Abraço com saudades, esperando que regresses breve

    ResponderEliminar