segunda-feira, 27 de julho de 2015

A gangrena




Ouvi dizer que Cavaco desvalorizou a eventual saída da Grécia da zona Euro, alegando que ainda ficariam 18 países.
É natural que o inquilino de Belém já não tenha discernimento para perceber que a saída de um estado membro da zona euro terá um efeito de gangrena  mas - embora não deseje nada de mal ao senhor presidente-  lembro-lhe que no caso de ter uma gangrena e ser obrigado à amputação de um dedo do pé, não se deve preocupar, pois ainda ficam nove e a perna toda para amputação posterior. E depois ainda tem outro pé e outra perna, antes de ficar podre por dentro.
Já agora, lembro a família Cavaco que não se deve preocupar com a posição que o patriarca Aníbal ocupa na foto, junto ao precipício. Se por acaso ele cair, ainda ficam 10 membros da família.

7 comentários:

  1. Andei a leste de notícias , mas antes de sair ainda ouvi esta máxima ao dito cujo ..fiquei de boca aberta , dito por quem foi dito. Coitado , está tontinho , nem sequer se cala para acabar o mandato com alguma dignidade.
    M.A.A.

    ResponderEliminar
  2. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderEliminar
  3. A falta de determinado dedo do pé pode impedir o equilíbrio. O que afirma aqui foi dito e repetido vezes sem conta. Toda a gente ficou espantada de ele já só saber de aritmética. Já não há pachorra para estes vermes.

    ResponderEliminar
  4. Acho que ele com essa frase quis desdramatizar a situação e tranquilizar as pessoas. Desdramatizar, desdramatizou, mas não tranquilizou.
    No essencial até concordo com ele, mas esta opinião só pode ser emitida na qualidade de economista. Como Chefe de Estado é uma afirmação que é demasiado ligeira para ser emitida por quem é P.R. e até pode ser desrespeitosa para a Grécia.
    Agora pegando numa frase sua Carlos.

    «É natural que o inquilino de Belém já não tenha discernimento para perceber que a saída de um estado membro da zona euro terá um efeito de gangrena».

    Não me parece. Falando num tom puramente económico e frio, até porque prefiro que a Grécia continue no Euro, a economia da Grécia (se é que ainda existe) representa cerca de 2% do PIB europeu e por isso é praticamente irrelevante em termos de união económica e monetária. Só por aqui duvido que houvesse esse efeito de gangrena.
    Há 2/3 anos, uma eventual saída da Grécia do Euro poderia de facto causar esse efeito gangrena ou dominó, porque ninguém estava preparado para isso. Hoje em dia a União Europeia e o BCE já tem de certeza planos de contingência caso um país saia do Euro. Outro factor importante a ter em conta, é que tudo o que é banco e empresa europeia, já saiu da Grécia, ou seja, já tiraram de lá todas as suas participações económicas e acima de tudo dinheiro.
    Por isso o que ele disse em termos meramente económicos, está certo. Embora politicamente caia mal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OK, Paulo, então é o Mario Draghi que deve estar enganado e não percebe nada de economia,ou é um medroso e andou a assustar as pessoas, alertando-as para o perigo para o Euro resultantes de uma saída da Grécia

      Eliminar